Como tirar mais proveito das redes sociais

Conheça os principais erros que as empresas cometem nestes canais

No ‘Mundo Empresarial’, programa que apresento diariamente na Rádio Antena 1 FM, eu sempre bato na tecla de que as empresas devem estar integradas com as novas tecnologias e aproveitar as oportunidades destas ferramentas para alavancar o seu negócio.

Mais do que a necessidade de estar presente no Twitter, no Instagram ou no Facebook é preciso ter a consciência deste universo que se abre e do que a sua empresa pretende com isso.

A partir deste ponto será mais fácil traçar estratégias e aperfeiçoar o seu relacionamento com os seus clientes. Mas tome cuidado: há erros que jamais podem ser cometidos, e se ocorrem, podem pôr tudo por água abaixo.

Criar um perfil nas redes sociais sem um planejamento é um erro que pode colocar tudo a perder.  Cláudio Torres, consultor e autor do livro “A Bíblia do marketing digital”, ressalta que não adianta apenas investir em pessoal, contratando um funcionário para cuidar das mídias sociais sem saber direito o que esperam desse canal.

Ele diz que uma marca não ganha seguidores no Twitter e fãs no Facebook se não conseguir fornecer um conteúdo que realmente interesse a seus clientes.

Portanto, disponibilizar conteúdo que seja interessante para o seu público é um princípio fundamental.

Outra coisa que deve ser compreendida de imediato é que as redes são um reflexo do mundo real. Então tome cuidado, se a sua empresa sofre com reclamações constantes por parte dos clientes, elas podem se tornar ainda mais públicas se feitas no ambiente on line. Um bom caminho é identificar as falhas (os motivos das reclamações), corrigi-las, e se dedicar a divulgar, nas redes, esta mudança de comportamento.

Se o seu cliente se comunica com você via redes sociais, jamais o direcione para outro canal de atendimento.

É senso comum de que a conversa deve ser concluída naquele espaço. Entendo que isso passa uma imagem de acessibilidade e compromisso com o atendimento.

Mesmo com muito planejamento e foco no relacionamento, erros poderão acontecer. Mesmo os evitando, jamais deixe de corrigi-los. Uma vírgula, um erro de concordância ou qualquer postagem equivocada deverão ser corrigidos imediatamente.

Lembre-se: o consumidor está bastante atento e qualquer deslize e erro não corrigido – serão percebidos – e arranharão, e muito, a imagem da sua empresa.

Me adicione no Instagram clicando aqui

Powered by Rock Convert

Veja pode se interessar também por estes posts:

4 ideias sobre “Como tirar mais proveito das redes sociais

  1. O grande problema que eu vejo nas empresas, principalmente no meu ramo de atuação que é o mercado imobiliário, é que elas nunca tiveram um plano de marketing estabelecido e com metas claras, investiam muito em publicidade de classificados, que por sua vez também evoluíram. Se essas empresas sobreviveram é porque a concorrência não era tão forte e diversificada quanto agora.
    Marketing digital continua sendo marketing. E cliente on-line continua sendo cliente! Esse “novo” canal deve ser incluído dentro do plano de marketing. Como elas não possuem um, de que forma vão saber onde querem chegar com isto?

    • Allan, obrigado por escrever. Marketing digital é marketing e cliente online é cliente, você tem razão. Mas têm “nomes diferentes” porque carregam conceitos diferentes, perfis diferentes. Um cliente que compra numa loja de departamentos pode não ser atingido por uma comunicação que um cliente digital responderia positivamente. Conhecer o público-alvo é essencial. Continue participando. Abraços, DM.

  2. Diego, mais de um ano se passou desde a publicação deste post e te digo que quem acreditou que existia diferença entre os seres humanos conectados e offline, afirmo com máxima certeza, perderam muito dinheiro. Sim, existem perfis de pessoas diferentes, mas não o fato de os desejos delas mudarem por estarem offline ou online. Marketing digital deve ser tratado como marketing em sua essência, a unica mudança é o meio da mensagem e as interações subsequentes, principalmente o tempo de resposta e mensuração de resultados. Afinal de conta é muito mais simples medir um clique num banner ou email do que a leitura de um anuncio impresso. No entanto, o mundo esta cada vez mais ‘cíbrido’ e a internet está nas coisas, por exemplo, um anuncio de revista pode conter um QRcode ou mesmo um simples link exclusivo para digitar #ficaadica 😉