Desmistificando mitos

Houve empresas que sequer começaram bem e só ganharam fôlego ao longo de sua trajetória

James Collins e Jerry Porras são professores da Universidade Stanford e escreveram, em 1994, o livro “Feitas para Durar – práticas bem-sucedidas de empresas visionárias”.  Trata-se de uma pesquisa que durou 6 meses e investigou 18 empresas (algumas seculares), das quais apenas uma não tem presença no Brasil.  Os objetivos eram desmitificar mitos e transformar os resultados em informações úteis para outras companhias.  “Feitas para Durar…” se tornou livro de referência na moderna gestão organizacional.  Conheça os mitos:

1º: uma grande ideia (houve empresas que sequer começaram bem e só ganharam fôlego ao longo de sua trajetória);

2º: líderes carismáticos (às vezes são até prejudiciais no longo prazo, melhor mesmo é o gestor preocupado em tornar a empresa duradoura e não aparecer mais do que a própria organização);

3º: apenas maximizar os lucros (lucro é apenas um dos objetivos e não necessariamente o maior deles, a noção de propósito é o que realmente demovem estas empresas);

4º: valores centrais “supercorretos” (mais do que se acreditar no valor X ou Y, importante para as empresa visionária é o quanto ela acredita em X ou Y e como vive e expressa essa crença em seus valores);

5º: mudar constantemente (organizações com longas histórias se adaptam à nova realidade e progridem sem abalar seus valores centrais, isto é, sem se levar por modismo);

6º mito: não se arriscam (comprometem-se com metas audaciosas, mas com sabedoria);

7º: excelentes lugares para se trabalhar (ficam nestas companhias apenas as pessoas que compartilham seus ideais, do contrário, são naturalmente expelidas);

8º: fazem grandes jogadas graças a grandes planejamentos estratégicos (na verdade, estas empresas não têm medo de errar, elas experimentam e aproveitam o que surtiu efeito gerando valor às suas ações cotidianas);

9º: executivos do mercado oxigenam as empresas (segundo a pesquisa, apenas 4 das 18 gigantes chamaram executivos de fora, a grande maioria aproveitou a prata da casa com funcionários de carreira);

10º: focam apenas a concorrência (na verdade, concentram-se muito mais em se superar e, como consequência, ultrapassam suas rivais);

11º: tudo ou nada (estes grandes negócios não se martirizam com decisões do tipo isto OU aquilo, mas decidem sempre por isto E aquilo, numa política de que os contrários somam e não subtraem) e, finalmente, o

12º mito: declaração da visão, missão, valores e objetivos (as empresas visionárias cresceram porque adotam e expressam suas características, e divulgá-las é apenas uma etapa do seu processo de comunicação, ou seja, mais importante do que ).

A lista das 18 empresas visionárias da pesquisa de James e Jerry (em ordem alfabética!):

  • 3M
  • American Express
  • Boeing
  • Citicorp (agora Citigroup)
  • Disney
  • Ford
  • GE
  • HP
  • IBM
  • J&J
  • Marriott
  • Merck
  • Motorola
  • Nordstrom (não tem negócios no Brasil)
  • Philip Morris (agora Altria)
  • P&G
  • Sony
  • Wal-Mart

Pense nisso e até a próxima!

Diego Maia

www.diegomaia.com.br

 

Grupo CDPV – www.grupocdpv.com.br

www.cdpv.com.br | www.cdpvseminarios.com.br | www.ogni.com.br

www.v3publicidade.com.br | www.rhvendas.com.br

Powered by Rock Convert

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.