Mentiu na entrevista e se deu mal

Minha sugestão é ser honesto com a empresa e com você mesmo.

Quem me escreveu foi o Cleber. Ele está numa encrenca daquelas…

Na mensagem, diz que acabou de mudar de empresa e no processo de seleção, teve que “vender suas qualidades”. Até aí, normal. 

Leia também: Procurando emprego? Confira estas dicas!

O problema é que no currículo e na entrevista ele disse ter inglês básico assim como todo mundo. Mas não tem.

Agora, depois de uma semana nesse novo emprego, o assunto veio à tona, pois a empresa precisa atender um chamado internacional.

Leia também: Por que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras? 

Ele me pergunta:O que eu faço? Além de não saber nada, eu não gosto do inglês. Sempre tive enorme dificuldade para aprender. Que dica você me dá, Diego?” 

Powered by Rock Convert

Veja você, a cilada que o Cleber se meteu. Ele fez como a maioria das pessoas. Quase todo mundo coloca no currículo que possui inglês e espanhol básicos, assim como Word, Excel, Power Point e até Access. Quem nunca?

A questão é que precisamos entender que isso é uma mentira, e talvez, um dos grandes causadores de rotatividade no período de experiência.

Mentir no currículo, por mais que seja uma mentirinha aparentemente boba, não é recomendado.

Portanto, se você não tem inglês, não coloque que tem. O mesmo vale para informática e para outras questões.

Quanto ao caso do Cleber, agora é a hora de falar a verdade e o quanto antes, mesmo que isso represente a perda do emprego que suou para conseguir. Minha sugestão é ser honesto com a empresa, com você mesmo, e no fim das contas, com o cliente que a empresa precisa atender nesse chamado internacional.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui.

 

Powered by Rock Convert

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.