Mentiu na entrevista e se deu mal

Minha sugestão é ser honesto com a empresa e com você mesmo.

Quem me escreveu foi o Cleber. Ele está numa encrenca daquelas…

Na mensagem, diz que acabou de mudar de empresa e no processo de seleção, teve que “vender suas qualidades”. Até aí, normal. 

Leia também: Procurando emprego? Confira estas dicas!

O problema é que no currículo e na entrevista ele disse ter inglês básico assim como todo mundo. Mas não tem.

Agora, depois de uma semana nesse novo emprego, o assunto veio à tona, pois a empresa precisa atender um chamado internacional.

Leia também: Por que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras? 

Ele me pergunta:O que eu faço? Além de não saber nada, eu não gosto do inglês. Sempre tive enorme dificuldade para aprender. Que dica você me dá, Diego?” 

Veja você, a cilada que o Cleber se meteu. Ele fez como a maioria das pessoas. Quase todo mundo coloca no currículo que possui inglês e espanhol básicos, assim como Word, Excel, Power Point e até Access. Quem nunca?

A questão é que precisamos entender que isso é uma mentira, e talvez, um dos grandes causadores de rotatividade no período de experiência.

Mentir no currículo, por mais que seja uma mentirinha aparentemente boba, não é recomendado.

Portanto, se você não tem inglês, não coloque que tem. O mesmo vale para informática e para outras questões.

Quanto ao caso do Cleber, agora é a hora de falar a verdade e o quanto antes, mesmo que isso represente a perda do emprego que suou para conseguir. Minha sugestão é ser honesto com a empresa, com você mesmo, e no fim das contas, com o cliente que a empresa precisa atender nesse chamado internacional.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui.

 

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.