Não se faça de vítima

Quando nós, "as vítimas", não buscamos culpados, criamos desculpas para justificar um erro. Precisamos desconstruir isso urgentemente!

Primeiramente, a maioria de nós tem a péssima mania de sempre arrumar culpado todas as vezes que uma coisa falha. Em outras palavras, quando não buscamos culpados criamos desculpas para tentar justificar o erro ou uma entrega cheia de falhas. Nos fazemos de vítima!

Eu não sei se é só comigo, mas, por exemplo, tenho visto o crescimento acelerado do vitimismo nos ambientes profissionais.

Tenho conhecido até mesmo pessoas com o que tenho chamado de vitimismo crônico. Em outras palavras, é aquela pessoa que, não adiante o que você fale, a culpa estará sempre em outra pessoa ou em outra circunstância.  

“Minha equipe é incompetente”, “meu companheiro é desmotivador”, “o governo é corrupto”, “a economia está em crise”. É, eu sei: é muito mais fácil nos fazermos de coitados e responsabilizar o mundo pelos nossos fracassos do que encará-los de frente. Se fazer de vítima é o caminho mais curto!

Pare o que você está fazendo agora e me responda mentalmente com a mais absoluta sinceridade:

O quão vitimista você tem sido nestes tempos bicudos que estamos vivendo?

Um antidoto para este mal, que funcionou e funciona comigo, é ter a auto avaliação como uma prática de vida.

Fiz algo que não deu certo? Avalio 360 graus o que eu fiz de mais, o que eu fiz de menos, o que eu não deveria ter feito… Sem se fazer de vítima!

Portanto, o simples fato de reduzir o vitimismo da nossa rotina pode fazer nosso resultado crescer exponencialmente.

Quer vender mais? Participe do treinamento de vendas mais esperado do ano, o “Congresso de Vendas e Motivação – CDPV 2019”!

Em outras palavras, neste treinamento TOTALMENTE INÉDITO, eu vou conectar você e sua equipe ao meu mais exclusivo conteúdo de vendas e motivação!

Todas as informações estão aqui!

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Powered by Rock Convert

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.