O que os corretores de imóveis esperam para 2018

Pesquisa inédita do Grupo CDPV identifica qual a perspectiva dos operadores do mercado imobiliário brasileiro.

O ano de 2017 não foi nada bom para 72% dos corretores de imóveis. Instabilidade política, limitação do acesso ao crédito imobiliário, preços altos e frequentes alterações na política de análise e concessão de crédito dos bancos inibiram as transações imobiliárias. Mas o que esperar de 2018? A perspectiva dos corretores de imóveis é positiva ou negativa?

O Grupo CDPV  foi a campo e perguntou para mais de 1.760 corretores de imóveis, devidamente registrados no CRECI (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis):

  • Se o mercado está aquecendo novamente ou se manterá inerte;
  • Se 2018 será um ano mais próspero para os corretores do que 2017;
  • Se o cliente está mais confiante em relação ao investimento;
  • Se o corretor está satisfeito com os seus resultados de 2017 e como ele pode melhorar;
  • Se eles acreditam que o mercado está bom pra comprar ou não.
  • Se os preços dos imóveis vai sofrer muita variação;
  • Quais os principais entraves durante as negociações.

Os corretores que não se atualizam e fazem tudo da mesma forma que faziam há décadas, anos e até meses atrás, estão fadados ao fracasso. Uma coisa eu garanto: nesse exato momento tem cliente comprando e tem corretor vendendo. Este ano será próspero para quem se capacitar em treinamento e desenvolvimento, inovar e focar em bons resultados.

Do total de corretores de imóveis respondentes, aproximadamente 80% são do sexo masculino. A perspectiva para a maioria é boa e aqueles que NÃO acreditam que o mercado irá melhorar considera, pelo menos, que o cenário ficará estabilizado, ou seja, que não teremos nova retração.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), ‘os financiamentos para a compra e construção de imóveis no país totalizaram R$ 3,15 bilhões em novembro de 2017, queda de 14,7% ante outubro e recuo de 20,9% em relação a novembro de 2016’.

Mesmo assim, quando questionados sobre as vantagens de comprar no atual quadro imobiliário, 86% dos corretores concordam que investir em imóvel continua sendo um bom negócio, mesmo com a expectativa de estagnação do preço para este ano.

“Não há como negar que vivemos um momento de desconfiança na economia de nosso País somada a uma grave crise política que incerta o futuro e que influencia diretamente o mercado imobiliário, mas investir em imóveis é sempre uma boa opção. O mercado vai voltar, talvez de forma mais branda do que no auge do crescimento no início da década, mas irá se reestabelecer e os mais preparados irão colher bons frutos”, analisa Leandro Figueiras, sócio coordenador do Grupo CDPV.

Dois fatores que sumiram diante da crise e tendem a voltar gradativamente com a recuperação do mercado: confiança e crédito. Os bancos estão retomando a segurança para liberar financiamentos imobiliários. E a baixa inflação, seguida de menos taxas de juros, são fatores que corroboram para que tudo volte, ainda que em passos lentos, a um cenário de confiança e otimismo. Criando oportunidades e recuperando o mercado imobiliário.

Leia também: Cyrella contrata Diego Maia para treinar seus corretores. 

A insatisfação com os resultados do ano passado é visível, mas com boas doses de treinamento de vendas, somados a bons produtos os resultados de 2018 prometem ser muito melhores!

DADOS TÉCNICOS DA PESQUISA:

NOME: O que os Corretores de Imóveis esperam para 2018

REALIZADOR: Grupo CDPV

PERÍODO DE REALIZAÇÃO: O período de realização da pesquisa foi de 29 de dezembro de 2017 a 14 de janeiro de 2018, e contou com a participação de 1.762 Corretores de Imóveis.

Faça o download da pesquisa completa!

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *