Só existe um chefe: o cliente

Tudo gira em torno das vendas. Na minha visão, aluno de escola é o cliente da escola; paciente é cliente; usuário do transporte, é cliente… enfim…

Sam Walton, fundador da grande rede de hipermercados Walmart tem uma frase memorável sobre isso.

Ele dizia assim: “Só existe um chefe: o cliente. E ele pode demitir todas as pessoas da empresa, do presidente do conselho até o faxineiro, simplesmente levando o dinheiro para gastar em outro lugar”.

Eu concordo plenamente com ele!

Leia também: Descomplique a vida de seu cliente

Não existe cliente bom ou cliente ruim. Para mim, o cliente sempre é um cliente; até mesmo quando não tem condição de comprar agora o que estamos vendendo.

Eu realmente não entendo como muitas empresas gastam rios de dinheiro em publicidade se não atendem o cliente com profissionalismo.

Não entendo taxista que tá reclamando da concorrência, que não atende o seu cliente com profissionalismo e bom humor.

Leia também: Os 10 maiores erros do vendedor

Não entendo vendedor de loja que não sorri, que não olha no olho, que já classifica  o cliente só pela roupa ou pela aparência…

Valorize o cliente de sua empresa, independente do cargo que você ocupa. É ele que paga o seu salário.

Aproveite e me adicione no Facebook e no LinkedIn.

É o cliente que paga nossos salários

Não sei com você, mas eu perco a paciência e fico muito insatisfeito quando um atendimento demora; quando tenho que repetir uma solicitação para várias pessoas e principalmente quando um atendente me dá informações erradas ou incompletas.

Confesso que tenho vontade de matar um!

Precisamos de uma vez por todas entender que é o cliente que paga os salários de todos numa empresa. E, dado a tamanha importância, ele dever ser visto como o mais importante da história. Sem clientes, nada existe.

Leia também: Como encantar clientes

Conquistar e manter clientes são tarefas das mais difíceis para qualquer empresa. Eles estão cada vez mais exigentes; a concorrência está a poucos cliques…

Tratar o cliente adequadamente é básico, embora a maioria das empresas não proceda sequer assim.

Leia também: Descomplique a vida de seu cliente

Ganha a atenção e principalmente a  fidelidade do consumidor quem fizer o básico sempre, mas que eventualmente promova alguma surpresa.

Quer melhorar seus resultados comerciais e vender mais? Me chama! Aproveite e me adicione no Facebook e no LinkedIn.

O vendedor será extinto? Diego Maia responde ao jornal O Globo

Destacado

Diego Maia foi um dos entrevistados pelo jornal O Globo de domingo (8) para falar sobre o Impacto da Tecnologia no Setor Varejista.

O CEO do CDPV abordou o polêmico tema e algumas questões: Qual o impacto da tecnologia nas vendas? A profissão vai acabar? Como sobreviver ao mundo moderno? Tantas perguntas e uma resposta: INOVAÇÃO. É preciso inovar para sobreviver a esta nova era.

Diego é categórico em afirmar que ” a figura do ser humano é reduzida, porém a tecnologia não o substitui. Elimina cargos supérfluos!” e acrescenta que apenas os que buscam conhecimento e qualificação irão se destacar. “O vendedor será um agente influenciador do consumo”.

“Empresas que não tinham hábito de treinar e desenvolver, hoje mantêm programas de capacitação continuada. No entanto, fazem isso em um curto prazo, para obtenção de benefícios imediatos e não pensam no longo prazo da operação”, destaca Diego.

A tecnologia está mudando a forma de se relacionar, de interagir com o cliente e público. E tornando os processos mais ágeis, eficazes e assertivos.
Você está preparado? Já adota estas tecnologias em seus negócios? Comece AGORA, pois quem ainda não pratica está ficando para trás.

“Quem quiser permanecer no mercado, crescer, conseguir promoções e aumentos, tem que sair da letargia. E não é só por meio de cursos, mas também tentando absorver todo o tipo de conteúdo, palestras, livros, jornais, eventos. A formação tradicionista está entrando em uma fase de declínio”, enfatiza Diego Maia ao jornal O Globo.

O sucesso do seu negócio está nas mãos do cliente

Se tem uma máxima que vale para qualquer ocasião, é esta: “o que deu certo no passado, não é garantia de que vai funcionar no futuro”.

Muito mais do que uma transformação, vivemos uma revolução digital.

Não se trata de adotar aplicativos para fazer coisas básicas ou usar o Smartphone mais moderno do planeta. O que está em curso no mundo é a revolução digital. Ela pressupõe mudança de mentalidade, de hábitos, de conceitos.

Quando comecei a ministrar treinamentos e palestras para equipes de vendas e de gestão, ainda usávamos um aparelho de fax no escritório. Você lembra dele?

Nesta época, era muito comum dizer que um cliente satisfeito compartilhava  sua satisfação, no máximo, estourando, para 1 outra pessoa, já um cliente insatisfeito, para no máximo 7 pessoas.

Nesta revolução que estamos vivendo, a prática permanece parecida, mas o poder construtivo ou destrutivo, não.

Não temos o hábito de elogiar um restaurante, uma livraria ou uma loja de sapatos. Mas se algo não sai dentro dos conformes, é super comum irmos logo para as redes sociais e detonar a empresa. E se isto viraliza, então, deixa a reputação e a marca em frangalhos.

O poder, mais do que nunca está com o cliente. E aquelas empresas e profissionais que não buscam conhecimento e não realizam ações para surpreender o cliente no universo digital, está em apuros.

O foco é desapegar dos modelos antigos e buscar novos caminhos.

A minha FRASE DO DIA é essa: “Velhos caminhos Não abrem novas portas”.

Pense nisso e me adicione no Facebook, no Instagram e no Linkedin.

Mais atitude, menos receptividade

Mais atitude, menos receptividade

Esses dias estive num grande shopping e visitei uma loja de colchões. O movimento estava fraco, e lá dentro da loja eu contei 5 ou 6 vendedores, mais o gerente.

Eu era o único cliente da loja naquele momento. Uma vendedora muito simpática veio me atender. Os outros cinco continuaram lá nas suas vidinhas: conversa fiada, paciência no computador, Facebook… Numa típica rotina da baixa performance e anti-produtiva.

O que eles poderiam estar fazendo ali naquele momento, já que a loja estava vazia?

Continuar lendo

Você pode estar perdendo vendas neste exato momento

Você pode estar perdendo vendas neste exato momento

Certa vez eu fui ao Google procurar um determinado equipamento de audiovisual.

Entrei no site – que por sinal estava muito bem programado – e chamei o vendedor pelo atendimento virtual, aquele chat que muitos sites possuem.

Fiz o meu pedido e solicitei um e-mail com mais informações e o resumo da compra. Recebi o tal e-mail com mais de seis horas de atraso, no final daquele dia. De imediato, respondi pedindo que entrassem em contato comigo no dia seguinte para fechamento da venda.

Leia também: Só existe um chefe: o cliente

A partir daquele momento, todo site que visitava estava lá o produto pesquisado em forma de anúncio. Ou seja: aquela empresa possui uma boa ação de marketing digital; executam uma estratégia chamada de re-marketing. Até na minha pagina do Facebook eles apareceram.

Mas no dia seguinte, nada de contato. Mandei e-mail, nada de resposta.

Continuar lendo

Como encantar clientes

Imagine que você contratou uma empresa especializada em pintura de lataria para seu carro. No final do serviço, a empresa entrega o seu carro com a pintura perfeita, no prazo certo e não cobra um centavo a mais do preço combinado.

Muitos podem achar que essa é a melhor maneira de encantar um cliente, mas para isso é preciso muito mais. É preciso superar as expectativas e mostrar que o cliente é muito importante para você. Afinal, fazer o básico é obrigação de toda empresa. Continue lendo…

Continuar lendo

Como usar o WhatsApp para gerar e ampliar negócios. #diegomaia

whatsappUma pesquisa inédita do Sebrae Nacional feita em parceria com o E-commerce Brasil mostra que quatro em cada dez donos de lojas on line de pequeno porte do país, aqueles que faturam até R$ 3,6 milhões por ano, usam o Whatsapp para atender o cliente. Em um ano, o percentual dobrou, o que evidencia a enorme popularização da prática.

De acordo com pesquisa,  39% das empresas usam o whatsapp, tanto no pré como no pós venda, percentual que era de apenas 19% em 2014.

A pesquisa que mostrou o crescimento do aplicativo como canal de atendimento também evidenciou a redução do uso do telefone, que caiu de 64% para 55%.

Os dados revelam ainda que, quanto menor o porte da empresa, maior a utilização do aplicativo de mensagem instantânea.

A vantagem mais impactante dessa ferramenta é que as mensagens são entregues rapidamente. O recebimento de imagens de produtos, confirmação e acompanhamento de pedidos, informações e até promoções está ganhando cada vez mais a adesão dos usuários.

Algumas dicas para você que vêm utilizando o Whatsapp no relacionamento com clientes:

  1. Tenha um número somente para esse fim e não misture contatos pessoais com profissionais.
  2. Utilize boas práticas na comunicação dando especial atenção ao linguajar e a erros gramaticais e de digitação.
  3. É preciso agilidade na resposta. O aplicativo presume a instantaneidade da comunicação.
  4. Informe o horário em que estará disponível on line para que não haja reclamações quanto à falta de atendimento.