Tempos de desespero exigem atitudes rápidas e ponderadas

Elaine é empresária do ramo de decoração de interiores e escreve da linda cidade de Cabo Frio, Rio de Janeiro. Ela diz:

“estamos a ponto de tomar uma decisão que todo empreendedor teme: fechar as portas de nossa loja. Nossa empresa está altamente endividada; aluguéis, telefones, folha de pagamento e faturas de fornecedores são pagas com atraso. Estamos sufocados e vivendo das poucas vendas que entram.

Nos sentimos como se tivéssemos comprando dívidas! Temos a opção de sublocar o espaço de um amigo ou simplesmente fazer atendimento externo como já fizemos, o único medo é não ter um showroom para apresentação dos produtos e, assim, não transmitir uma imagem profissionalizada ao nosso cliente. O que fazer?“.

Elaine, não conheço um único empreendedor que se sente a vontade com a possibilidade do retrocesso. Mas uma boa parcela deles descobriu maneiras de lidar com a decepção e reversão, quase sempre de forma instintiva.

A dificuldade é maior quando um problema ameaça não apenas a sobrevivência de sua empresa, mas também o seu bem-estar mental.

Tempos de desespero pedem medidas ponderadas e rápidas. Estancar a sangria deve ser a prioridade, junto com a geração de novas vendas. Uma ação está interligada a outra: ninguém consegue vender com a cabeça cheia de problemas.

Mas Elaine, não sinta pena de si mesma. É que isso é uma tendência natural depois de ter sofrido um revés.

Jamais culpe os que te rodeiam pela bagunça que você se meteu, mas também nada de acreditar que você é uma vítima. Você não é a primeira empresária a sofrer um grande revés e com certeza não será a última.

Pense nisso e me adicione no Instagram!

Será mesmo que a crise chegou pra todo mundo?

Será mesmo que a crise chegou pra todo mundo?

Gente, a frase que eu mais tenho escutado ultimamente é que “a crise chegou para todo mundo”. Tem muita gente culpando a má fase da economia pelas más vendas, pela falta de emprego e por esse fechamento em massa de empresas.

Mas será que a crise chegou para todo mundo mesmo? Você deve ter lido a noticia de que jovens acamparam na porta de uma loja em Ipanema para comprar um tênis de mil e duzentos reais assinado pelo famoso rapper Kanye West. Eram menos de duzentas unidades disponíveis, um lançamento superexclusivo. Muita gente ficou de madrugada lá esperando a loja abrir para garantir o seu par. Agora eu te pergunto: Esse tênis ficou encalhado na prateleira por causa da crise? Afinal, crise para quem?

Leia também: O sucesso empresarial está ligado diretamente a Inovação e ao Marketing

Continuar lendo

O pessimista e o otimista

Não há dúvidas de que o clima de pessimismo é mais acachapante que uma crise em si. O problema é crucial: quando um empresário ou gestor se deixa dominar pelo desânimo ou pela falta de crença positiva em um futuro próximo, ele contribui ainda mais para a desaceleração. Não da economia, mas de sua própria empresa.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

É claro que ter cautela é indispensável, mas conheço muita gente se destacando nestes momentos apreensivos e ganhando escala, mercado e lucro.

Num mercado em que tem gente perdendo dinheiro, tem sempre alguém ganhando. A primeira coisa a fazer é decidir de que lado você quer ficar. A segunda, é agir.

Leia também: O que você faz para trabalhar mais motivado?

Continuar lendo

O pessimista e o otimista #diegomaia

Não há dúvidas de que o clima de pessimismo é mais acachapante que uma crise em si. O problema é crucial: quando um empresário ou gestor se deixa dominar pelo desânimo ou pela falta de crença positiva de um futuro próximo, ele contribui ainda mais para a desaceleração. Não da economia, mas de sua própria empresa.

Escute este comentário do DIEGO MAIA: aperte o Play e aumenta o som:          

 

 

O que será dos próximos meses?

Mês de maio está aí. Deixando de lado o fato de ser o mês do meu aniversário, quando maio chega bate a sensação de que o primeiro semestre está na sua reta final. Pelo menos eu tenho esta sensação 🙂 .

Arnaldo Silva escreveu perguntando se eu tenho alguma ideia de como vai se comportar a economia no segundo semestre, se as coisas melhorarão, se ele deve investir mais em sua empresa…. as perguntas foram muitas.

Arnaldo, sinceramente eu acho que antes de melhorar ainda vai piorar. Mas isto não é o fundo do poço, não. Eu acredito que profissionais e empresas podem colocar em prática diversas ações e ideias para não serem tragados pela crise e pelo impasse político.

Eu estou customizando diversas ideias para superar adversidades e validando com exemplos reais. E, para apresentar estas ideias agendei uma palestra GRATUITA no Rio de Janeiro, no dia 30 de maio. Neste encontro,  transmitirei possibilidades e trilhas para que as empresas não apenas atravessem este contexto adverso, mas também descubram como superá-lo.

Ao invés de focar os problemas e dificuldades, a proposta central é fazer com que as pessoas foquem nas soluções. E elas são muitas.

Faça como o Arnaldo e participe da Palestra Gratuita “Como Crescer em 2016”. É só clicar aqui e fazer sua inscrição. Será dia 30 de maio, no Centro do Rio de Janeiro. As vagas são limitadas e estão quase terminando.

Oportunidades mesmo na crise

Oportunidades mesmo na criseCom o agravamento da crise política no Brasil, vemos todos os dias um filme de terror no noticiário. É medalhão sendo preso, fulano de tal sendo investigado, empresa fechando, shoppings vazios.

Leia também: Como fazer sua startup decolar?

A situação é preocupante. Mas mesmo diante de cenários tristes, quem empreende  e quem trabalha não pode embarcar no navio fantasma.

Digo isto porque não podemos permitir que os desmandos, as crises e as brigas políticas ditem o rumo de nossos negócio e de nossas carreiras.

Leia também: Ações que fazem o cliente procurar você

Somos bombardeados por notícias ruins, mas precisamos disseminar as notícias boas junto ao nosso time, junto aos nossos clientes, junto aos nossos fornecedores.

As oportunidades existem e isto não é ficção. É claro que tem gente perdendo, tem gente fechando, tem gente sendo demitida. Mas não sobrevive a empresa e o profissional que passa a maior parte do tempo debatendo derrotas.

Neste momento, precisamos inverter a ordem natural das coisas, mudar o status quo da situação.

Se você trabalha num shopping e o movimento está fraco, menor do que o costume, é seu trabalho ajudar a criar o próprio movimento.

O mesmo vale para varejo como um todo: restaurantes, lojas de rua, salões de beleza!

A pergunta que você deve se fazer todos os dias é:

Como você, independente de sua função, pode ajudar sua empresa a vender mais mesmo em períodos turbulentos?

Ops, em tempo: a crise é real. É política, é econômica e é de confiança, não foi criada pelos meios de comunicação não…

 

Parceria entre empresas

parceria“Num cenário cada vez mais competitivo, há espaço para crescimento e aumento de vendas ou devemos reduzir nossas previsões?” Esta pergunta é do Edécio, gestor de uma empresa de serviços digitais.

 O grande problema das crises é a paralisia que ela proporciona nas empresas e pessoas. Afinal, porque investir se não temos ideia de como será o amanhã?

Com algumas ressalvas, é possível afirmar que mesmo com as situações adversas que estamos atravessando, há empresas crescendo e até mesmo muitas empresas vendendo mais do que nas épocas de vacas gordas.

O caminho é buscar algum tipo de diferenciação no valor percebido por seus clientes.

Uma alternativa bacana para isso é estabelecer parcerias com outras empresas, que não competem entre si mas que buscam o mesmo perfil de cliente.

Esses dias conheci uma ação criada pela agência de propaganda AFT Comunicação. Eles pensaram numa aliança muito interessante com diversos parceiros e criaram o site clubedeexperiencias.com.br, um portal de vantagens que oferece produtos e serviços exclusivos aos viajantes. A agência fechou parceria com a cia aérea TAP e com o Ministério de Turismo de Portugal para levar benefícios interessantes para quem viajar para a Terrinha. 

Funciona assim: você faz o seu cadastro no site e escolhe  os  vouchers que quiser (e quantos quiser!) de diversas experiências incríveis em Portugal, que pode ir desde descontos em restaurantes e hotéis, degustação de vinhos, e até bilhetes para atrações turísticas.

A ação incentiva viagens para aquele destino Europeu, oferece vantagens ao cliente TAP e leva clientes aos estabelecimentos locais associados ao clube. E, claro, gera impostos e movimenta a economia, tudo que um Governo pode querer.

Isto é parceria entre empresas!

E você? Que tipo de parceria pode viabilizar com outras empresas para ampliar os negócios, encantar os clientes e vender mais?

As atitudes indispensáveis para superar a crise

nao ha obstaculos que nao possa serMuitas pessoas que me acompanham aqui no Blog, escutam meu programa de Rádio e me assiste nas Palestras que ministro Brasil à fora tem mandado mensagens preocupadas com o “amanhã”.

Muitos estão assustados com o destino da economia, com o dólar a R$ 4,00, com a baixa do consumo, e com o iminente aumento de impostos.

Juntando isso tudo temos como resultado um caldeirão de notícias ruins e negativas que travam a evolução e posicionam as empresas no caminho do insucesso.

Quando avalio empresas e profissionais que estão conseguindo sobreviver e crescer a isso tudo, encontro algumas atitudes comuns. Quer ver só?

1ª ATITUDE: a convicção de que, na crise, quem tudo corta cortado será.

2ª ATITUDE: Todo mundo, do servente ao presidente de uma empresa, tem que estar focado no aquecimento e aceleração de vendas, dando uma espécie de contribuição adicional ao resultado final do negócio.

3ª ATITUDE das pessoas que estão alcançando êxito neste momento turbulento: elas buscam conhecimento através de cursos, palestras, livros. Afinal, conhecimento é propriedade vitalícia de quem o possui e é o diferencial necessário para superar adversidades. Conhecimento não ocupa espaço. 

 

Tática anti-crise: Corte 5, invista 2 #diegomaia

crise - labirintoMuitas empresas tem me contratado para falar sobre as perspectivas e oportunidades da crise político-econômica brasileira.
O foco central destas minhas apresentações é o que pode ser feito pelas equipes neste momento de competitividade acirrada, afinal, muito pode ser feito não apenas para sobreviver, mas para crescer.

 

Quanto tudo vai bem, ou seja, quando a economia está em alta, até profissionais despreparados e empresas “mais ou menos” conseguem ter êxito. Quando o cenário apresenta queda no consumo, desemprego e aumento do custo, posso dizer que só os fortes e preparados conseguem passar ilesos.

Tenho recomendado às empresas que foquem na identificação de ao menos cinco oportunidades de redução de despesas e custos, cortando sobretudo o que traz prejuízo. Mas isto por si só, não basta. Pelo contrário, amplia a recessão emocional da equipe envolvida.

Além da redução consciente, é necessário escolher um ou dois focos de aceleração de resultados e colocar estas ações para girar, pisando fundo no acelerador.
Quer ver uns exemplos possíveis do que estou dizendo?

1 – Investir em publicidade consciente e consistente é uma incrível oportunidade para todas as empresas. Em períodos de baixa na economia, a maioria das empresas corta este tipo de investimento e os veículos de comunicação, por sua vez, oferecem melhores oportunidades.

2 – Investir em treinamento. Como no tópico “publicidade”, ainda tem gente que acha que treinar a equipe é custo, quando na verdade, é investimento. Não importa se sua equipe tem 1, 10, 100 ou 1000 colaboradores. O treinamento é a mola propulsora para garantir resultados no médio e no longo prazos.

3 – Investir em tecnologia e melhoria de processos. Agora é o momento de se dedicar a preparar sua empresa para o bom combate. No que diz respeito a sistemas, você consegue ter uma visão ampla da sua operação? Empresa que é controlada por planilhas de Excel não vao muito longe.

Daqui a pouco o cenário melhora e se você não fizer nada, o ciclo vicioso volta. Utilize este momento preparar sua empresa para o futuro. Afinal, não é somente o “hoje” que está em jogo.

Sei que é difícil pensar nestas coisas quando a preocupação é fechar as contas do fina do mês. Mas, como disse, escolha 5 focos de contenção de custos e um ou dois focos de investimento.

Os 4 passos comportamentais para superar adversidades

crise-oportunidadeEsta semana é dedicada a comentar alternativas e posturas necessárias para empresas que querem não apenas sobreviver, mas crescer nestes períodos mais turbulentos.

Ontem comentei que existem 4 comportamentos indispensáveis para este momento. O primeiro é “fazer coisas diferentes”. O segundo é “trabalhar mais”.

O terceiro é Deixar de lado essa insatisfação e este clima de desânimo que tem assolado muitas empresas e muitas pessoas.  Eu sei que há empresas, que há companhias que têm sofrido muito com este momento brasileiro, mas tem outras que estão ganhando dinheiro. É aquele famoso ditado que você já conhece “Enquanto alguns choram sempre tem alguém vendendo lenço.”

E o quarto passo importante para a gente atravessar este período e faturar é:

Acreditar. Acreditar que é possível. Se as pessoas que trabalham na sua empresa não acreditam, porque que os clientes vão acreditar? Se as pessoas que trabalham contigo estão desanimadas, de baixo astral, pessimistas, porque que as coisas boas vão acontecer? É aquela tal questão: “Coisa ruim atraia coisa ruim, pessimismo atrai pessimismo.”

Então acima de tudo: acreditar que é o momento sim de faturar e crescer faz toda a diferença para aquelas empresas e para aquelas pessoas que querem não apenas sobreviver, mas crescer neste momento turbulento.

Em outubro iniciarei um grande tour ao redor do Brasil com o incrível e inédito Workshop “Missão Possível – como aumentar suas vendas em períodos turbulentos”. É um encontro ideal para empresários, gestores e profissionais de vendas visionários, onde apresentarei as melhores estratégias e ferramentas  para não apenas sobreviver, mas para crescer. As datas já confirmadas são: 01/10/15 no Rio, 06/10/15 em Cabo Frio – RJ e 23/10/15 em Salvador – BA. Saiba mais aqui. 

Como crescer em períodos turbulentos

Muitas pessoas têm mandado mensagens perguntando o que podem fazer para superar este momento mais competitivo, mais turbulento que estamos vivendo no Brasil.

ideograma_chines_criseSão pessoas de Norte a Sul do País, de Capital e do Interior, pessoas de vendas, pessoas de administração, pessoas de todas as áreas da economia.

Eu realmente acredito que existem quatro  ingredientes indispensáveis, para quem quer não apenas passar, atravessar este momento de competição acirrada como também ganhar dinheiro, não apenas sobreviver  mas crescer neste momento competitivo! Sim, isto é possível!

São quatro ingredientes e dois deles falarei hoje:

1º – Fazer coisas diferentes. Aquilo que trouxe a gente até aqui, até onde agente está agora não garante o sucesso no futuro. Então eu devo me perguntar todos os dias “O que eu devo fazer para melhorar”? Para entregar melhor este serviço que eu presto? Seja para meu chefe, seja para meu cliente, seja para meu colega.

A segunda grande questão nesse momento mais competitivo, mais acirrado é Trabalhar mais. Esses momentos competitivos não são favoráveis para aquelas pessoas que não gostam de trabalhar, e olha que no Brasil temos muita gente desse tipo. Ou seja, se eu trabalho de 9 as 18hrs, infelizmente ou felizmente eu tenho que trabalhar de 8 as 19hrs, eu tenho que acordar mais cedo, dormir mais tarde, preciso captar mais informações, eu preciso ler mais estudar mais, falar com mais pessoas.

Fazer coisas diferentes e se dedicar mais! É o caminho para quem não quer ser tragado por esta maré de notícias ruins.

Em outubro iniciarei um grande tour ao redor do Brasil com o incrível e inédito Workshop “Missão Possível – como aumentar suas vendas em períodos turbulentos”. É um encontro ideal para empresários, gestores e profissionais de vendas visionários, onde apresentarei as melhores estratégias e ferramentas  para não apenas sobreviver, mas para crescer. As datas já confirmadas são: 01/10/15 no Rio, 06/10/15 em Cabo Frio – RJ e 23/10/15 em Salvador – BA. Saiba mais aqui. 

Crise? Deixe isto para a concorrência!

Muita gente tem mandado mensagens perguntando por aqui, no Facebook e no Twitter o que fazer para superar este momento turbulento que estamos vivendo.

Neste vídeo de apenas 2 minutos falo dos quatro passos indispensáveis para quem quer não apenas sobreviver, mas crescer. Sim, isto é possível! Eu acredito, e você?