Liderança é mais comportamento do que técnica

Primeiramente, não importa se você está conduzindo, por exemplo, uma cidade, uma empresa, um departamento, uma equipe, uma igreja. Não importa se você está conduzindo uma família… liderança certamente não tem nada a ver com o título, currículo ou posição.

Você pode ser o presidente de um país ou o CEO de uma empresa de grande porte, por exemplo, mas não ser um grande líder. Na verdade, a liderança tem tudo a ver com o COMPORTAMENTO.

Por exemplo…

Continuar lendo

Seja um Líder produtor de estrelas (e não a estrela em si)

Eu já falei sobre as práticas e atitudes que separam de forma significativa um bom líder de um líder ruim e isso tem causado uma certa polêmica.

Continuar lendo

Crescer ou ficar pequeno é uma questão de decisão.

Carla é ouvinte assídua do meu programa de rádio e escreveu uma linda mensagem contando seu atual momento.

É empresária do ramo de beleza e bem-estar e montou, há sete anos, a empresa que sempre sonhou. Ela fatura o que projetou para se manter e crescer. Tem 30 funcionários mas confessa estar se perdendo na gestão do negócio, principalmente na parte burocrática, administrativa e contábil.

A empresa tem crescido e Carla está ciente de que quando uma empresa cresce e envelhece, crescem juntos os problemas, as dificuldades, a burocracia, por exemplo. Além das obrigações trabalhistas, passivos, certidões, dezenas de órgãos reguladores… é surreal a quantidade de obrigações que precisamos cumprir pra manter uma empresa dentro da lei. Confira meus comentários…

Continuar lendo

Se você não sabe motivar, pelo menos não desmotive!

Primeiramente, entenda de uma vez por todas: Se você não sabe motivar, pelo menos não desmotive!

A estrada para o sucesso empresarial é esburacada e cheia de altos e baixos. A um empresário ou gestor cabe se manter preparado a todo custo – técnica e emocionalmente – para os dias ruins.

Sou constantemente contratado por empresas dos mais variados ramos para palestrar sobre vendas, gestão e motivação. E, em alguns casos, tenho reparado uma atmosfera não tão positiva assim quanto aos desafios que estão por vir. Continue lendo…

Continuar lendo

Garanta sua vaga no Congresso de Vendas e Gestão CDPV 2019


Congresso de Vendas e Motivação CDPV 2019 – Cine Odeon, Rio de Janeiro

O mundo mudou, as exigências mudaram, a concorrência está cada vez mais acirrada, mas muita gente ainda vende como antigamente

Processos, empresas e pessoas tem ficado obsoletos cada vez mais rápido. Por exemplo, o que funcionava até um minuto atrás, não é garantia de que funcionará amanhã.

Vai por mim: não é o preço que vai determinar se você vende ou se você não vende.

O que vai dizer se você cresce ou desaparece é o verdadeiro valor que o seu produto ou serviço proporciona ao seu cliente.

E como construir valor e conseguir vender mais caro e sempre é o tema central do Congresso de Vendas e Motivação – CDPV 2019.

Conduzido por Diego Maia – um dos palestrantes de vendas e motivação mais contratados do país, o evento será realizado dia 5 de junho de 2019 no Cine Odeon – Centro Cultural Luis Severiano Ribeiro, no Rio de Janeiro.

É um treinamento imersivo, das 16h às 21h, que elevará seu trabalho a um outro patamar. Seja você um empresário, um gestor, um profissional liberal, um representante comercial, um vendedor, esse evento é para você!

Clique aqui e conheça detalhes do Congresso de Vendas e Motivação CDPV 2019, apresentado por Diego Maia, um dos maiores palestrantes do Brasil.

O que você pode esperar ao participar do Congresso de Vendas e Motivação CDPV 2019 com Diego Maia?

  • Você certamente conhecerá técnicas diferenciadas e estruturadas de vendas e motivação que poderão diferenciar seu discurso e seu posicionamento no mercado;
  • Você receberá provocações e insights de negociação, persuasão, prospecção;
  • Compreenderá conceitos de Neuromarketing e Neurovendas e entenderá como aplica-los no seu dia-a-dia, gerando, consequentemente, mais vendas;
  • Se participar com sua equipe, terá um time mais comprometido com o resultado;
  • E, portanto, em uma única tarde, você terá acesso a um conteúdo que vale por uma formação inteira.

Inscreva-se agora no Congresso de Vendas e Motivação CDPV 2019 com Diego Maia.

Vendas é o coração da sua empresa. E quando o coração para…

E então? Quer acompanhar de perto as informações e preparação para esse evento? Adicione Diego Maia no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Como fazer o cliente te procurar?

Primeiramente, você sabe como fazer o cliente te procurar?

Com ventos favoráveis ou nem tão favoráveis assim, é sempre importante pensar em como ampliar os resultados de sua empresa.

E isto vale para todo tipo de negócio. De uma clínica médica a, por exemplo, um distribuidor de alimentos. De uma farmácia a escritório de advocacia.

Que ações simples ou com baixo custo podem fazer o cliente procurar você? Pra toda ação existe uma reação. Quer ver só?

Estar mais perto do cliente é ação de ordem para quem não quer perdê-lo para a concorrência. Ligar hoje para os clientes que não compram de você há 6 meses pode desencadear uma série de novos pedidos.

Mas tem que ser uma ligação ao estilo “prestação de serviços” e não com a sensação de que quer vender alguma coisa. Por exemplo: se meu dentista ligasse hoje dizendo que já passei do prazo para fazer uma revisão, eu agendaria uma consulta instantaneamente.

Da mesma forma que se a minha loja preferida de roupas ligasse hoje dizendo que chegou uma nova coleção de camisas sociais e dizendo que estou sumido, eu iria lá muito rapidamente.

Se a loja de informática que costumo comprar equipamentos me telefonasse apenas para perguntar se estou precisando de algo, eu mandaria vir um mouse óptico sem fio com urgência.

Se meu agente de viagens fizesse contato comigo hoje, eu pediria algumas cotações tendo em vista minhas próximas férias.

O problema é que estas pessoas e empresas não ligam. Não ligam pra mim, nem pra você.

Para se destacar, empresas e profissionais certamente precisam se antecipar às demandas e cavar oportunidades. Precisam deixar de lado a passividade e ir buscar o cliente, que está cada vez mais sem tempo.

Portanto, algo precisa ser feito se você pretende se destacar e ganhar mercados.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

3 armadilhas da produtividade. Livre-se delas IMEDIATAMENTE!

Você conhece as 3 armadilhas da produtividade?

Eu sempre acreditei que o que fazemos nos primeiros minutos do trabalho reflete diretamente na nossa produtividade para as próximas oito horas.  Ou seja, se você chegar atrasado ao escritório ou perder tempo nas redes sociais, a tendência é ter dificuldade em manter o foco o resto do dia e perder tempo com coisas inúteis.

Passeando por sites internacionais especializados nas relações de trabalho confirmei esta minha suspeita.

E selecionei três armadilhas comuns, que vivemos corriqueiramente mas que podem atrapalhar o nosso rendimento.

1º – Chegar atrasado

Um estudo recente, citado no Huffington Post, descobriu que os chefes tendem a ver os funcionários que se atrasam com alguma regularidade como menos responsáveis e conscientes. Para eles, quem não chega cedo não produz e são responsáveis pelos baixos índices de desempenho – mesmo que essas pessoas saiam mais tarde.

2º – Não cumprimentar os colegas de trabalho

Você pode até não estar em um bom dia, mas é sua obrigação dar “oi” ou “bom dia” para as pessoas. Quando não faz isso, sua competência técnica e habilidade profissional são minadas e esquecidas.

3º – Responder a cada e-mail em sua caixa de entrada

Assim que entramos no escritório, a tendência é responder àqueles emails e passar uma boa parte do dia fazendo isso. Os primeiros 10 minutos da jornada de trabalho devem ser gastos na priorização de e-mails. Dessa forma, você pode ver se há alguma coisa urgente e criar um plano para atender o resto mais tarde.

O e-mail é uma ferramenta de trabalho e não o trabalho em si. O problema é que muita gente não sabe disso.

Coloque em prática!

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Podem te roubar tudo, menos o seu conhecimento!

Eu sempre acreditei que o conhecimento é o único diferencial competitivo que as pessoas podem ter (todos os outros podem ser copiados).

Como não acredito muito em “sorte”, entendo que  ele, somente ele (o conhecimento), pode impulsionar carreiras, equipes e empresas.

Por isso me especializei em contribuir com o desenvolvimento de pessoas, e curto muito o que eu faço. Curtir o que se faz, mesmo quando trabalhamos com algo que não sonhamos quando crianças, é o segundo ingrediente indispensável para o êxito profissional.

Quando entendemos isso e passamos a curtir mais o dia a dia, é incrível. Parece que tudo e todos começam a jogar a nosso favor.

Esses dias, por conta de minha intensa agenda de viagens, o meu voo foi cancelado e para chegar em casa, no Rio de Janeiro, tive que fazer duas trocas de avião e esperar por horas para estas conexões. Eu poderia reclamar, protestar e falar mal da mãe de todo mundo. Mas, sabe, curti a situação. Optei, por exemplo, por ler um livro inteirinho!

Então o comentário de hoje te lembra dois pontos fundamentais para o desenvolvimento de si próprio, de sua equipe e de sua empresa:

  • Curtir a jornada proporciona melhores resultados, por mais pesado que seja seu fardo
  • Busque conhecimento, a todo custo, a todo instante. E seu eu puder fazer parte disso, será muito bacana!

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

4 coisas que aprendi muito cedo

Bem no inicio de minha carreira, aprendi quatro coisas que me fizeram um bem danado. Me evitaram frustração, tristeza e, certamente, até depressão.

A primeira delas: “Não esperar reconhecimento, agradecimento ou elogios”. É questão comum: quando a gente acerta nove vezes ninguém elogia, mas quando erra uma, as críticas são fortes. Sim, o mundo é cruel. Se o reconhecimento, o agradecimento ou o elogio vierem, estaremos lucrando. Não espere gestos de bondade do chefe, do colega, do cliente. A gente se frustra menos.

A segunda: “Não se martirize por seus erros”. Viu que errou? Avalie a situação com isenção e busque entender o que você deveria ter feito de diferente. Mas tenha muito cuidado: repetir sempre os mesmos erros sempre é um problema sério. Errar é sadio, errar é humano. Todos nós erramos! Mas que, ao menos, arranjemos erros novos.

A terceira questão: “Zelar para que as coisas funcionem, não somente aquelas pelas quais sou responsável”. Isto vale para tudo, mas principalmente pelos assuntos de trabalho. Não é porque resolver um problema é função de fulano de tal que eu deixarei o pior acontecer no meu setor, na minha empresa ou no meu cliente.

E quarta: “Se quiser ter êxito profissional, tenha mentalidade de dono, mesmo não sendo”. Trabalhar, mesmo que como assalariado ou prestador de serviço não pode ser apenas uma figuração. Trabalhar é produzir, é ver o progresso, é contribuir com a empresa.

Trabalhar é fazer a diferença, independente de reconhecimento, de elogio. Conheço um monte de gente que se arrasta para, apenas, cumprir seu horário ou sua função, contando os minutos para chegar o final do expediente ou cumprindo a risca, em segundos, o seu tempo de almoço ou intervalo. Estas pessoas estão “só trabalhando” e dificilmente conseguirão se diferenciar da média.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Mudou tudo aqui na empresa. Fico aqui ou vou pra outra?

Primeiramente já te deixo um questionamento: Como lidar com a mudança? Quem escreveu foi o Rogério. Vamos ao e-mail:

“Sempre escuto suas sugestões e tento aplica-las da melhor forma. Trabalho há 5 anos na mesma empresa, que acaba de ter uma grande mudança de diretoria e gerencia geral.

Existem especulações, por exemplo, de que esta nova diretoria irá trazer sua equipe e desligará a mim e a meus colegas. Por outro lado, uma empresa concorrente me ofereceu uma proposta com as mesmas bases do que recebo hoje. Devo ficar onde estou ou aceitar este novo desafio? Já tenho 46 anos e estou inseguro sobre o que decidir”.

O Rogério vive uma situação muito comum quando o assunto é mudança de gestão nas empresas. Muita gente que nos lê já viveu situação parecida e nestes momentos é comum darmos mais ênfase do que a necessária aos boatos e as fofocas.

Certamente o problema é que isso nos tira a produtividade; se distrair tentando adivinhar o futuro na empresa diante de um cenário instável tira o nosso foco em resultados. Com redução da produtividade por conta disso, os riscos de um funcionário ser desligado é alto.

Como lidar?

Sou partidário do jogo aberto e da transparência e trabalho para aplicar este modelo em todas as áreas da minha vida.

Então, eu não tomaria uma decisão estratégica como esta sem ter uma conversa franca e honesta com meus novos gestores. Fale de suas conquistas nestes cinco anos, de seus planos de futuro e sobre as proposta que recebeu da concorrência. Pergunte abertamente se há algum plano para você!

Se decidir ficar, trabalhe com mais profundidade. Escolha uma área do conhecimento que você julga faltar na sua lista de competências e vá buscar! Se lhe falta o domínio de um outro idioma, se matricule num curso.

Portanto, o que a gente não pode é ficar parado, esperando que a vida se encarregue do nosso futuro.

Somos nós que construímos as circunstâncias que desejamos; não são as circunstancias que nos escolhem. 

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Como treinar minha equipe

Muitas tentativas de treinar são frustradas porque tem gente que acha que apenas uma reunião informativa sobre uma novidade basta. Um adulto aprende quando vivencia, quando analisa, quando pensa. Se ele só recebe a informação, não retém e, acima de tudo, são poucas as chances de colocar em prática.

Um dono de uma rede de farmácias, por exemplo, me questionou outro dia: “Diego, e se eu treinar a pessoa e ela for para a concorrência? Vou jogar dinheiro no lixo!”.

O prisma é outro: E se você não treinar e o profissional ficar?

Portanto, a mensagem de hoje é: Invista, pelo menos, 1% do faturamento em treinamento da equipe. Só este caminho garantirá maiores receitas e fidelidade.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

3 perguntas para salvar uma empreendedora!

Renata é empresária e mandou, por e-mail, toda sua história. Primeiro devo dizer que é uma linda história de superação e coragem.

A questão é essa, nas palavras dela: “Trabalhei como funcionária por mais de 18 anos na área financeira. Mas Sou publicitária por formação e sempre me sentia um pouco frustrada por não exercer a minha profissão. Sempre fui considerada pelos meus empregadores como uma ótima funcionária, embora os elogios jamais tenham sido compatíveis com o meu salário (…).

O destino virou minha vida pelo avesso, e através de uma história longa e complexa, agora encontro-me passando por cima do medo e enfrentando a dureza de ser proprietária de uma pequena loja (…).

Nela faço criações de identidades visuais para festas e eventos. A maioria quer pagar pouco e ter qualidade, mas fica inviável.

Não tenho concorrentes perto, mas os autônomos que oferecem este serviço na internet bombam. Será que o erro está aí?  

Me dê um “help”, por favor! Amo o que faço, mas não sei se consigo pagar o aluguel do mas que vem”. 

Renata, vamos lá:

1) Você precisa realmente de uma loja física para fazer o que todo mundo faz através de loja virtual? Mudar a estrutura não quer dizer andar pra trás, mas, sim, ajustar o foco.

2) Se os clientes não querem pagar seu preço, das duas uma: ou está caro ou eles não percebem o seu real valor. Ou seja: ou o preço está errado ou você está atingindo os clientes errados.

3) Onde estão os bons clientes? Como chegar até eles? Como se comunicar com ele?

Insisto em dizer que é a passividade que está destruindo empresas.

É necessário levantar da cadeira e ir buscar.

Portanto, reflita sobre isso. “O que fazer” você já sabe. A charada está agora em “Como Fazer”.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

O que você busca: oportunidade ou estabilidade?

O que você responderia se eu te perguntasse agora o que você busca: oportunidade ou estabilidade?

A escritora americana Helen Keller viveu no século passado. Ela foi a primeira surda a se formar na faculdade e deixou uma frase que sempre me fez refletir. Ela disse:Segurança é praticamente uma superstição. Vida é aventura ou nada”.

Procuro sempre avaliar os fatores que diferenciam estabilidade da oportunidade. Em outras palavras: as pessoas que focam exclusivamente a estabilidade no seu trabalho e as pessoas que priorizam a geração de oportunidades, tolerando certo nível de risco.

Em linhas gerais, a maior parte de nós, brasileiros, prioriza a estabilidade: um emprego estável com poucas variações, entendendo que assim estão seguras.

Esta análise sempre conflita com um tema que assusta muitos profissionais: a mudança. Uma regra nova, um novo modelo de remuneração, um chefe novo, um novo concorrente. Todo tipo de mudança assusta, e isso é normal. O problema é quando a gente precisa viver uma mudança que nos é imposta e ficamos paralisados diante dela, reduzindo nossa produtividade e eficiência no trabalho.

O primeiro sinal de que uma pessoa não lida bem com uma mudança é que ela se torna reativa; Isto acontece pelo fato de encararem a mudança como algo negativo. Afinal, aquele jeitinho de sempre precisará ser renovado, precisará sair da zona de conforto.

Encarar as mudanças de peito aberto, se esforçando para entender o porque da decisão e o que deve ser feito para ter êxito com as novas práticas modelos diferencia os profissionais de sucesso.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Desbloqueie sua criatividade

Você já se sentiu bloqueado e sem criatividade? Já se sentiu como se você não pudesse resolver até mesmo um problema simples?

Há alguns obstáculos ao pensamento criativo que podem estar te impedindo. A sacada de hoje é mostrar a você como desbloquear suas habilidades! 

  • O primeiro obstáculo ao pensamento criativo é a…

FALTA DE DIREÇÃO

Isto pode estar representado pela falta de metas e objetivos claros. Como diz o ditado, para quem não sabe onde quer chegar, qualquer vento nos leva a qualquer lugar.

É incrível, parece até mágica. Quando seus planos se  tornam absolutamente claros (e por escrito) sobre o que você quer, certamente sua criatividade vem a tona. 

Você imediatamente começar a brilhar com ideias e insights, por exemplo, que ajudam a avançar e melhorar suas habilidades criativas.

  • O segundo obstáculo ao pensamento criativo é o…

Medo do fracasso ou da perda daquilo que você já conquistou.

É o medo de estar errado, de cometer um erro, de perder dinheiro ou tempo. Quando isso acontece, não é a experiência do fracasso que o impede. Provavelmente você falhou inúmeras vezes na vida, entretanto isso não lhe fez nenhum dano permanente.

É a possibilidade de fracasso, em outras palavras, a antecipação do fracasso que paralisa a ação e se torna a principal razão para a falha e erros na resolução dos problemas.

Portanto, LIBERTE SUA CRIATIVIDADE! 

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Como ser um líder coach?

O tema “Coach” está mega badalado. A todo instante surgem novos cursos, novos profissionais propondo serviços, novas “formações”… Penso até que a oferta tá superando a demanda. Mas o assunto aqui é outro…

Coach é uma palavra em inglês que significa treinador. Em inglês, quando usada como verbo, a palavra coach significa treinar ou ensinar. Já o termo Coaching é uma ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional.

Muito mais do que entregar os resultados, um gestor deve ou deveria em primeiro lugar, ser um coach de seus liderados. Tem gente que faz isso com maestria, de forma instintiva. Tem gerentes e líderes que estão buscando este tipo de conteúdo para melhorar a produtividade do grupo. Continue lendo….

Um bom caminho para se tornar um líder coach é oferecer feedbacks constantes. A atividade deve ser pensada, mas parecer espontânea sempre depois de algum incidente ou atividade específica. Este tipo de feedback deve estar estruturado em 3 ganchos, que na verdade são perguntas informais.

Depois de algum incidente ou alguma falha, comece a conversa com estas perguntas:

    • Como é que você acha que foi nossa performance sobre este tema?
    • Como você avalia a reação dos envolvidos após este acontecimento?
  • Pensando agora com mais calma, o que você poderia fazer de diferente para ter um resultado melhor?

Portanto, seja um líder coach. Nada além disso importa.

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar