A importância dos detalhes

Posso dizer que sou uma pessoa perfeccionista. Fico muito chateado quando as coisas não são feitas ou não saem como projetado, seja na escala macro ou micro.

Fico assustado como as pessoas não se atentam aos detalhes das suas tarefas e ações.

Me impressiona o fato de as pessoas entregarem somente o que lhes é pedido, quando entregam. Penso que aí estão dois dos grandes segredos para o sucesso pessoal, profissional e empresarial.

Detalhes fazem toda a diferença. Seja num relatório simples ou numa estratégia de marketing. Num atendimento telefônico ou numa proposta enviada por e-mail.

O universo corporativo seria muito melhor se as pessoas entregassem suas demandas no custo e no prazo; sem que tenham de ser pressionadas ou cobradas por isso.

Seria perfeito se as pessoas fossem imbuídas em fazer a diferença, em entregar o serviço proposto com um plus, com um adicional, com uma diferenciação.

Falei disso na ultima edição da Imersão para Empresários que ministro frequentemente em vários estados brasileiros. Um empresário já estabelecido levantou o braço e falou: “Caramba, Diego! Estou atrás de pessoas que pelo menos façam aquilo que elas são pagas para fazer! E você esta ai dizendo em ter pessoas que façam além?”…

Respondi brincando que “sonhar não custa nada”, mas tenho absoluta convicção de que essas pessoas (diferenciadas) existem. Sei que elas estão bem empregadas ou estão empregando. Sei também que é um paradoxo incrível para a maioria dos empresários o ato de treinar, desenvolver e remunerar melhor as pessoas.

Logo lembrei de um ditado popular, que diz assim:  “melhor segurar um cavalo acelerado do que empurrar uma mula mansa.”

Pense nisso na hora de recrutar, de dar feedbacks, promover, incentivar ou desligar alguém de sua equipe.

Leia também: Três passos para estimular sua equipe

Como salvar sua empresa?

Hoje é dia de responder a mensagem do Roberto, empresário do ramo de beleza.

Ele fala que “concorda com muito do que tenho falado” aqui e no meu programa de rádio quanto a blindagem necessária para as empresas não sucumbirem a período turbulento.

Mas pede orientações mais práticas no que tange a administração. Ele se diz bom de vendas, mas reconhece que anda apreensivo já que seus conhecimentos na área financeira são fracos.

Roberto: o mais importante é agir proativamente e não deixar pra tomar atitude somente quando o temporal chegar.

Então, tome nota de 3 caminhos possíveis e necessários:

1 – Reduzir o custo fixo com criatividade: evitando desperdício e diminuindo despesas desnecessárias.

2 – Delete o que traz prejuízo e foque no traz rentabilidade. E isso vale para tudo: para foco, para gastos, para investimento e até para administração de pessoal.

3 – Gerencie e controle duramente o seu capital de giro. As empresas não quebram porque não vendem. Quebram, principalmente, pela falta de capital de giro.  Neste momento, a sugestão é evitar bancos, seja para empréstimos,  descontos de duplicatas e antecipação de recebíveis de cartão de crédito. As taxas tem oscilado muito!

Boa Sorte!

Como salvar meu restaurante?

Quem escreve hoje é a Rosângela, de linda cidade de Salvador da Bahia. Ela diz:

“Tenho um restaurante. Comecei com MEI (Micro Empreendedora Individual), cresci desordenadamente e cai de cabeça nessa crise econômica. Tinha 25 funcionários e hoje apenas 05. Perdi clientes, adquiri dívidas, ainda assim, continuo trabalhando.

Hoje meu faturamento mensal é de R$30.000,00, isto é, quando entra tudo no mesmo mês. Mas devo no mercado mais de R$100.000,00. Como sair dessa,  levantar a minha empresa e continuar na ativa?

Primeira questão, Rô: não dramatize a situação.

O país não vai acabar com esta tal crise econômica e a sua empresa não irá morrer – desde que você faça minimamente a lição de casa.

Portanto, nada de pânico ou drama. Tem gente por aí que adora uma novela mexicana, vamos deixar a tal “crise” para eles!

Agora, é hora de agir. Menos discurso e mais ação. Pelo que parece você precisa agir em dois eixos: (1) a retaguarda, melhorando suas rotinas de compras e administração financeira e (2) as vendas.

Como minha especialidade é esta segunda, quero te dizer que é possível sim crescer e faturar mais mesmo neste período turbulento.

Crie produtos novos, para atrair os antigos clientes.

Já que administra um restaurante de bairro, pense em diversificar os pratos, inclinar o ambiente para a moda gourmet e uma forma de cadastrar os consumidores.

Uma boa dica pra isso é criar uma pesquisa de avaliação, onde o cliente escreve num pedacinho de formulário o que achou da comida, o que acha que precisa melhorar e registra ali seus dados pessoais, como telefone, e-mail e data de aniversário.

E aí você já sabe: intensifique o contato!

Você pode mandar e-mails ou mensagens de WhatsApp diariamente com o cardápio do dia e pode também, na data de aniversário do cliente, convidá-lo para almoçar com vocês, por sua conta, é claro.

Estas práticas te diferenciarão profundamente e farão a clientela retornar com frequência ao seu estabelecimento.

Como ser mais eficiente no trabalho

Eu recebo muitos e-mails me perguntando como ser melhor no trabalho, pedindo dicas de como mostrar serviço, então elaborei esses conselhos para quem quer fazer melhor e ser mais eficiente.

Aprenda com a experiência do seu próximo. Uma ideia mal aproveitada, um erro, tudo pode servir de lição para você se auto avaliar. Não é roubar a ideia do outro e sim aprender com o que faltou para a dele dar certo.

Não gaste horas escrevendo um e-mail. Seja educado, claro e vá direto ao ponto. Imagine o gestor de 150 pessoas lendo longos e-mails com palavras que não são utilizadas desde quando sua bisavó era apenas uma criancinha de todos os 150 colaboradores, ele vai acabar sem tempo para alguma coisa.

Seja agradável e tenha um bom networking. Claro que você não deve passar 4h da sua jornada de trabalho estreitando os laços de amizades com as pessoas de seu setor, mas manter-se sujeito a críticas, sugestões e a auxiliar o outro fará de você uma pessoa bem quista. Não humilhe ninguém por causa de um erro ou uma má ideia, todos estão sujeitos a errar.

Mantenha seu cérebro em exercício. Não se conforme só com o cursinho, ou só com a faculdade, busque mais conhecimento, leia, estude, comunique-se… Afinal, conhecimento não ocupa espaço.

Me adicione no Instagram clicando aqui. 

 

Líder nasce pronto?

Frequentemente me perguntam se é possível treinar as pessoas para que sejam líderes eficazes ou se os melhores e verdadeiros líderes já nascem prontos. Este também é um assunto que rende aulas e aulas em faculdades e MBAs e sempre é pauta de conversas em botequins e jantares corporativos.

Mas esta discussão é a menos importante. O que importa mesmo, para quem está na linha de frente contratando, decidindo, dispensando, reportando, emitindo relatórios, atendendo demandas e, acima de tudo, sendo pressionado por resultados, é o que fazer para ser cada vez mais eficiente e viver com mais qualidade.

E para as empresas, o que importa mesmo não é se fulano nasceu líder ou se tornou líder. Mas, sim, ter a certeza de que esta pessoa possui comportamento, habilidades e atitudes indispensáveis para levar um negócio ou uma equipe ao sucesso.

Então, qual é a resposta para a pergunta central?

Existem traços de liderança que são inatos, que vêm com a gente, que estão no nosso DNA. Alguns podem ser desenvolvidos com treinamento, outros com a ajuda da experiência. Mas um líder que não gosta de lidar com pessoas, por exemplo, está no lugar errado! Afinal, nada nas empresas é mais importante que as pessoas.

Ninguém nasce líder. Mas tem uma característica que revela plenamente quem tem mais chances de ser um líder de sucesso: é a postura de eterno aprendiz. Isto mesmo!  Ser um eterno aprendiz classifica muito as pessoas, até porque um líder que acha que já sabe de tudo, no fundo, no fundo, não sabe de nada.

O que cansa não é o trabalho, é o aborrecimento

duvida-empresarioÉ comum demais um empresário passar a maior parte do tempo ocupado apagando incêndios. Os problemas surgem de todos os lados : equipes, prazos, clientes, fornecedores, reclamações…  

Parece que todos os problemas exigem atenção imediata, por mais que você não os julgue tão importantes assim. Afinal, você é o empreendedor responsável e certamente quer ver tudo ‘nos conformes’.

Para completar, tudo ou quase tudo chega a você: os funcionários te interrompem toda hora com dúvidas ou informações.

Olha, o que cansa na condução de uma empresa não é o trabalho em si, mas os aborrecimentos.

Como resolver ou minimizar? Eu respondo…

É latente a necessidade de delegação, precedida por preparação dos colaboradores e, claro, um depósito de confiança e autonomia neles.  Os problemas sempre surgem, e você nunca vai conseguir progredir se ficar apenas concentrado neles.

Se um empresário trabalha concentrado em fazer a empresa funcionar, quem é o responsável por fazer a empresa CRESCER?

Delegar tarefas, preparar a equipe, confiar nas pessoas e uma boa dose de libertação das tarefas menos importantes: estas são as ideias de hoje.

Encare os problemas como oportunidades

Tem gente que quando erra e é penalizado por seu erro, “cai atirando”, falando mal de tudo e de todos.

Outros se condenam e se penalizam tanto que machucam não apenas a sua alma, mas a sua tão necessária motivação diária.

Outros se vitimizam e por vezes se tornam escravos de sua própria vitimização.

Precisamos entender que ERRO é pra ser cometido e aprendido. E, claro,  não para ser repetido. Precisamos ficar sempre alertas e assumir o compromisso de errar erros novos, conscientes de que erraremos sempre…

Dito isto, reforço: não importa qual seja a situação, identifique os aspectos positivos e de aprendizado e siga em frente.

As pessoas felizes com sua vida e realizadas em seu trabalho vêem tudo como uma oportunidade – para o crescimento, para a mudança, para a inovação. Mesmo no erro, mesmo na cena triste.

É você quem decide: quando há um problema você vê oportunidades e o transforma em vantagens ou continua sendo vítima propagando as mas práticas, condenado a desmotivação.

A gênia Cora Coralina tem uma frase muito adequada para este nosso momento: “Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.

Construa uma Liderança de sucesso

É tarefa de todo empresário ou gestor ajudar a manter um clima agradável no ambiente de trabalho.

Outro dia conversando com alguns especialistas em gestão, cheguei à conclusão que, via de regra, as pessoas são atraídas para uma empresa pelo perfil e pela remuneração, mas saem geralmente pelo ambiente. O mau chefe costuma ser motivo de saída do trabalho.

Por isso, estou certo de que manter um clima positivo, de confiança, é um grande fator de motivação dos colaboradores.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

Mas como, na prática, fazer isso?

Um bom caminho é manter as pessoas informadas sobre tudo o que acontece com o negócio, com todas as novidades. Isto evita fofocas, intrigas e boatos, o famoso “disse-me-disse”. Estabeleça regras de comunicação com o seu time, seja ele pequeno, médio ou grande. Isso pode ser feito num café da manhã semanal, num boletim informativo impresso em impressora simples mesmo, num ambiente on line, numa comunidade virtual.

Outro fator que afasta bons funcionários é a ausência de oportunidades na empresa. Por isso, criá-las é importante. Se não cria, perde porque as pessoas precisam crescer e vão buscar isso em outros lugares.

Leia também:

Fui promovido a um cargo de liderança… E agora?

As 5 bases da liderança

Onde seus funcionários poderão chegar se abraçarem a causa, o projeto? Ofereça estas oportunidades a eles!

Conheça a certificação CDPV LAP – Líder de Alta Performance. Uma Formação em liderança diferente de tudo que você já viu, criada para ajudar você a chegar aos topo.

Conecte-se comigo: Facebook | Instagram | iTunes | SoundCloud | Linkedin

 

Mentiu na entrevista e se deu mal

Quem me escreveu foi o Cleber. Ele está numa encrenca daquelas…

Na mensagem, diz que acabou de mudar de empresa e no processo de seleção, teve que “vender suas qualidades”. Até aí, normal. 

Leia também: Procurando emprego? Confira estas dicas!

O problema é que no currículo e na entrevista ele disse ter inglês básico assim como todo mundo. Mas não tem.

Agora, depois de uma semana nesse novo emprego, o assunto veio à tona, pois a empresa precisa atender um chamado internacional.

Leia também: Por que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras? 

Ele me pergunta:O que eu faço? Além de não saber nada, eu não gosto do inglês. Sempre tive enorme dificuldade para aprender. Que dica você me dá, Diego?” 

Veja você, a cilada que o Cleber se meteu. Ele fez como a maioria das pessoas. Quase todo mundo coloca no currículo que possui inglês e espanhol básicos, assim como Word, Excel, Power Point e até Access. Quem nunca?

A questão é que precisamos entender que isso é uma mentira, e talvez, um dos grandes causadores de rotatividade no período de experiência.

Mentir no currículo, por mais que seja uma mentirinha aparentemente boba, não é recomendado.

Portanto, se você não tem inglês, não coloque que tem. O mesmo vale para informática e para outras questões.

Quanto ao caso do Cleber, agora é a hora de falar a verdade e o quanto antes, mesmo que isso represente a perda do emprego que suou para conseguir. Minha sugestão é ser honesto com a empresa, com você mesmo, e no fim das contas, com o cliente que a empresa precisa atender nesse chamado internacional.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui.

 

Gestão é relacionamento

Cuidar das vendas, da administração, do financeiro, da logística, de compras… Donos de pequenas empresas, em geral, precisam interpretar vários personagens para fazer o negócio acontecer. Precisam se dividir em mil para dar conta de tarefas cotidianas. Mergulhados em contas, estoque e geração de novos negócios, é muito comum esquecer-se de cuidar da equipe. Ou, no melhor dos cenários, deixá-la em segundo plano.

Leia também: As 5 bases da liderança 

É claro que tem gente que nasce com um forte sentido de liderança e consegue inspirar e motivar pessoas naturalmente, sem muito esforço. Mas aí estou falando de gestores excepcionais.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

Não precisamos de tanto. Ao contrário do que parece, ser um bom líder parece ser muito complexo, mas na verdade não exige muito. Quer ver?

  • Estar disposto a ouvir o que as pessoas pensam a respeito do negócio é um bom caminho. Conheço centenas de empresários e gestores que só falam, falam, falam. Não dão ouvidos para os colaboradores.
  • Distribuir bem as tarefas, o que pressupõe planejamento, é outro fator que ajuda a construir uma boa relação com o time. Volta e meia encontro pessoas sobrecarregadas que, pela quantidade de coisas que precisam fazer, acabam não entregando nada.

O que você vai fazer de diferente?

Conheça a certificação CDPV LAP – Líder de Alta Performance. Uma Formação em liderança diferente de tudo que você já viu, criada para ajudar você a chegar aos topo.

 

Me adicione lá no Facebook e no LinkedIn.

Amigos são bons sócios?

Além de minhas palestras de vendas, marketing e gestão, tenho estudado muito o universo de pequenas e médias empresas que representam quase 70% dos empregos do país.

Leia também: Cuidado com os colaboradores tóxicos 

Daí, decidi catalogar alguns dos principais erros que o empreendedor deve (e precisa!) evitar. 

O primeiro é esse: achar que amigos são bons sócios. Uma sociedade deve ser formada com alguém que compartilha os mesmos valores e objetivos e que principalmente saiba o que vai fazer. 

Leia também: Empreendedor precisa ser exemplo

Esqueça esta de “Ah, ele aprende com o tempo. O que importa é a confiança.” Confiança em uma sociedade é indispensável. Mas mais importante ainda, é contar com pessoas que te complementem em alguma área. Quem aí não conhece histórias de dois grandes amigos que viraram sócios e perderam o convívio?

Outro erro de muitos empreendedores é misturar contas e despesas da pessoa física e da pessoa jurídica. A falta de organização de muitos empresários na hora de gastar o dinheiro da empresa pode causar danos irreversíveis. Mesmo quando a empresa já é lucrativa, a intensidade das retiradas e a falta de controle sobre o que é dinheiro da empresa e o que é gasto pessoal pode conduzir uma empresa saudável para o buraco.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui.

Esse cara é você?

Esse cara é você?

Pensa no seguinte cenário, você era O CARA da sua empresa. Ok, vamos pensar menor, do seu departamento.

Era sempre chamado para as reuniões com a alta administração, era sempre convidado para tecer comentários sobre os investimentos da organização e sempre ouvido para tomada de decisão empresarial.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

De repente, marasmo total: nada de convites, nada de consultas, nada de ser ouvido.  Estagnação: vários funcionários recém-contratados já ultrapassaram seu patamar.

Meu amigo, minha amiga, devo confessar que o problema está em você!  “O cara”, agora, é outro!

É claro que você entrou naquela zona de conforto e esqueceu de evoluir, seduzido por aquela atmosfera em que todo mundo via em você uma referência.  As coisas mudam.  As pessoas mudam.  Os processos e o mundo mudam.  Talvez suas habilidades continuem até bastante atualizadas, mas você esqueceu de gerir sua própria carreira: pare e reflita sobre sua trajetória.

Leia também: A maldita zona de conforto

Uma coisa é certa: se você está nessa situação, não acelere, dê uma pausa, faça perguntas e só volte a acelerar no sinal verde, quando obtiver as respostas às suas inquisições.

Leia também: Por que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras?

Se você quer ser um Gestor de Sucesso, comece a treinar para se vestir, falar e, sobretudo, comportar-se como um gerente de verdade.  Assim e somente assim será percebido pela alta administração e, quem sabe, ser promovido.

Me adicione nas redes sociais. Eu estou no LinkedIn, no Twitter, e no Facebook.

Fui promovido, e agora?

Imagina a cena: você hoje é colega de alguém, almoça junto todo dia com o seu vizinho de mesa, fala suas opiniões sobre os gestores e tudo mais.  Cotidiano normal.  Eis que você é promovido e vira chefe dele e de mais um grupo de pessoas com que você tinha uma relação horizontal.

Se sua organização não capacitar você (a maioria esmagadora não faz isso), não se faça de rogado: busque você mesmo o conhecimento.  Há inúmeros cursos de gestão espalhados por aí.  Mantenha-se perto de outros gestores através de comitês: analise a postura deles e absorva as melhores práticas.

Converse com o RH sobre você eleger 1 líder dentro da empresa para ser o seu mentor.  Na internet você também poderá encontrar fóruns sobre o assunto: sugue tudo que puder e separe o que é falácia do que é real.

A última sugestão é a mais importante: busque apoio dos ex-colegas e agora subordinados.  Explique em detalhes suas expectativas em relação a cada um e ao grupo. E tenha disposição em dobro! Acabou a era do gerente que trabalha menos do que o funcionário. Agora, é ao contrário!

Me adicione no Facebook! 

Quatro sentimentos que distinguem o bom do mau gestor

De uns tempos para cá tenho perguntado informalmente para funcionários das empresas que me contratam para palestras, o que eles esperam de seus gestores. Afinal, que sentimentos distinguem o bom do mau gestor?

Nessa brincadeira já ouvi de tudo. Tem gente que espera que o gerente seja mandado embora, que ele morra e desapareça. Tem muita gente que não gosta ou não se dá bem com o gestor imediato.

Mas tem também muitas respostas positivas.

Leia também: As 5 bases da liderança 

Eu já ouvi funcionário falar que espera que seu gestor dê suporte e ferramentas para um trabalho de qualidade. Que seja companheiro e parceiro nas horas boas e também nas horas tristes. Que jamais deixe de lado o que não produz; que esteja ciente que, por vezes, mesmo o profissional mais experiente pode dar uma escorregada e que, por isso, precisa ainda mais de orientação.

Esse cenário seria, certamente, o melhor dos mundos. Mas é bom a gente ter em mente que não existe gerente perfeito e que ser elogiado pela equipe é apenas um dos diversos indicadores necessários para medir se uma pessoa é boa ou não de liderança.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

Quer ver quatro sentimentos que distinguem o bom do mau gestor?

  • Saber separar o estilo “família” do trabalho (a razão da emoção);
  • Entender que TODOS os colaboradores precisam produzir e entregar resultados. Por mais operacionais que sejam! E devem ser reconhecidos por isso. Esta deve ser sua maior meta;
  • Compromisso “de carne” com os números e metas que precisam ser atingidos;
  • Senso de urgência! De rapidez! De velocidade!

Quem deixa para amanhã o que pode e/ou deve fazer hoje apresenta o sinal da síndrome da “gerentice”. Pensa que é ou que pode ser gerente. Mas gestor de sucesso é aquele que entrega, que faz.

Leia mais aqui embaixo!

Como ser um líder excepcional

Fui promovido a um cargo de liderança. E agora?

Liderança e alta performance podem caminhar juntas

Gostou? Aproveita e me adicione lá no Facebook e no LinkedIn.

Não tente abraçar o mundo

Olha, você não tem ideia do poder que um hábito tem nas nossas vidas. Às vezes, o que a gente precisa para crescer é justamente mudar alguns desses hábitos, ou deletar algumas práticas prejudiciais.

Esses costumes tomam conta da nossa vida porque nosso cérebro acaba se acostumando a fazer sempre a mesma coisa e assim poupar a energia de pensar outras soluções.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

Quantas promessas de final de ano acabam ficando só na promessa, não é? Ir para a academia, ficar mais tempo com a família, fazer aquela viagem… Vamos combinar que é difícil mudar um hábito. Se você tem uma empresa ou lidera uma equipe e quer fazer esta empresa ou esta equipe decolar, existe um hábito que você deve incorporar na sua rotina para impulsionar o trabalho:

Foque em apenas um grande assunto  por vez.

Quem tenta abraçar o mundo com as pernas normalmente se dá mal e acaba adiando problemas e não encontrando soluções. Quando se está à frente de uma empresa ou de uma equipe, a tendência é que você queira resolver tudo sozinho.

Leia também: Elimine os hábitos corrosivos

O ideal é separar os problemas e atacar um de cada vez, um dia uma coisa, outro dia, outra coisa. O meu desafio para você hoje é o seguinte: Procure dentro da sua empresa um grande assunto que merece o seu foco hoje e se dedique totalmente a resolver este tema.

Quer mais ideias? Me adicione no Facebook e no LinkedIn e se conecte comigo.