A importância dos detalhes

Posso dizer que sou uma pessoa perfeccionista. Fico muito chateado quando as coisas não são feitas ou não saem como projetado, seja na escala macro ou micro.

Fico assustado como as pessoas não se atentam aos detalhes das suas tarefas e ações.

Me impressiona o fato de as pessoas entregarem somente o que lhes é pedido, quando entregam. Penso que aí estão dois dos grandes segredos para o sucesso pessoal, profissional e empresarial.

Detalhes fazem toda a diferença. Seja num relatório simples ou numa estratégia de marketing. Num atendimento telefônico ou numa proposta enviada por e-mail.

O universo corporativo seria muito melhor se as pessoas entregassem suas demandas no custo e no prazo; sem que tenham de ser pressionadas ou cobradas por isso.

Seria perfeito se as pessoas fossem imbuídas em fazer a diferença, em entregar o serviço proposto com um plus, com um adicional, com uma diferenciação.

Falei disso na ultima edição da Imersão para Empresários que ministro frequentemente em vários estados brasileiros. Um empresário já estabelecido levantou o braço e falou: “Caramba, Diego! Estou atrás de pessoas que pelo menos façam aquilo que elas são pagas para fazer! E você esta ai dizendo em ter pessoas que façam além?”…

Respondi brincando que “sonhar não custa nada”, mas tenho absoluta convicção de que essas pessoas (diferenciadas) existem. Sei que elas estão bem empregadas ou estão empregando. Sei também que é um paradoxo incrível para a maioria dos empresários o ato de treinar, desenvolver e remunerar melhor as pessoas.

Logo lembrei de um ditado popular, que diz assim:  “melhor segurar um cavalo acelerado do que empurrar uma mula mansa.”

Pense nisso na hora de recrutar, de dar feedbacks, promover, incentivar ou desligar alguém de sua equipe.

Leia também: Três passos para estimular sua equipe

O Mural dos Sonhos…

Dionízio me ouve direto de Salvador, na Bahia (na capital baiana estou no ar na Rádio A TARDE FM, 103,9, de seg a sex às 14:26h e 20:57h). Ele tem uma empresa de móveis planejados, uma equipe pequena e briga muito por vendas… Mas acha que precisa de uma motivação profissional tanto pra si quanto pras pessoas que lá trabalham… São três, quatro com ele.

Dionízio: uma empresa essencialmente de vendas precisa ser vibrante e ser pautada pela realização de sonhos e conquista de metas. O time precisa ganhar mais do que perder. Ninguém motiva ninguém, a motivação é algo interno; podemos, no máximo, relembrar os motivos e inspirar as pessoas a conquista-los.

Lá no escritório do Grupo CDPV eu coloquei em prática algo diferente: fizemos um negócio chamado “Mural dos Sonhos”, onde cada funcionário é convidado a fixar lá  três ou quatro dos seus desejos e objetivos.

A ideia é interagir, conhecer um pouco mais do íntimo de cada indivíduo e mostrar, sempre, que devemos trabalhar para conquistar sonhos e não para pagar contas.  É viver e não sobreviver…

Frequentemente convidamos as pessoas a refletir sobre o que precisam fazer para chegar lá. E a melhor felicidade do mundo é quando um colaborador consegue concretizar sua meta. Nossa, que alegria!

Lá no escritório a Gisele, nossa colega de trabalho, comprou seu primeiro carro. E a primeira coisa que fez foi ir lá no mural dos sonhos e substituir por outro.

Todos vibraram com a conquista e eu fiquei emocionado por, de uma forma ou de outra, contribuir com seu objetivo. Pode acreditar: não há alegria maior para um gestor. A motivação dos demais vêm a reboque.