R.D.Lay contrata CDPV para desenvolver seu time de vendas

Destacado

O Grupo CDPV, empresa especializada em treinamento e recrutamento de vendedores acaba de ser contratado pela R.D.Lay, marca de moda feminina presente em 10 pontos de vendas da região metropolitana do Rio de Janeiro.

A partir de agora, todo o processo de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento está sob nossa direção e encaminhamento. Através do serviço RH Vendas ajudaremos a formar uma sólida equipe comercial. Com as soluções de treinamento comercial, ajudaremos no desenvolvimento da atual equipe.

Desde de 1995, a R.D.Lay desenvolve linhas de produtos de alta qualidade com o objetivo de realçar a beleza das mulheres. No seu centro de produção são fabricados shorts, vestidos, calças e blusas com modelagens modernas e a preços acessíveis aos bolsos.

“Esta parceria é mais uma conquista para o CDPV. Tenho certeza que nosso time fará o melhor para superar os resultados. Assim como a R.D.Lay, temos o comprometimento com a ética e valorizamos o trabalho em equipe. Formaremos pessoas capacitadas para fazer a diferença”, afirma Diego Maia, CEO do CDPV. 

Leia também – Capemisa Seguradora contrata o CDPV para treinar seu time. 

Faça como a R.D.Lay! Contrate nossos serviços de recrutamento e seleção e conheça nossas soluções de treinamento de vendas, uma nova era no treinamento de equipes comerciais.

 

Como reduzir a rotatividade de funcionários

Como reduzir a rotatividade de funcionários

Guaraci escreveu: “Olá, Diego. Tenho uma pequena empresa com 25 funcionários  e estou passando por um problemão na empresa. Não consigo montar uma equipe consistente.

Leia também: Mais sobre como treinar a equipe

Já tentei de tudo as estou cada vez mais desesperado, sinto que sem gente boa e comprometida posso colocar em risco tudo que construí com muito sacrifício. O que devo fazer?”

Continuar lendo

Conheça os serviços do RH Vendas e contrate a pessoa certa

Cuidados na hora da contratação

Daniel Paiva escreveu falando que é fã do meu trabalho e já até participou de uma de minhas imersões.

Quer contratar com grandes chances de acerto? Clique aqui e conheça o nosso serviço  de contratação e seleção RH Vendas.

Ele gerencia uma empresa que presta serviço na área de segurança e medicina do trabalho e está encontrando uma enorme dificuldade em recrutamento, não pela falta de interessados e sim pela qualidade deles. Daniel conta que sempre procura orientar, conversar, explicar as regras da casa.

Leia também: Mais sobre como treinar a equipe

Diz que é bastante tranquilo, mas sempre identifica falta de responsabilidade, falta postura no trabalho e falta de motivação, mesmo  deixando claro que a empresa tem uma postura de apostar naqueles que se dedicam.

Ele continua: “Aqui pode-se crescer, mas depende deles. O que faço? Fico demitindo e contratando até encontrar a pessoa certa? Ou tento treinar alguém, mesmo vendo que faltam características que deviriam vir de berço, como o ‘trato com as pessoas’ por exemplo?”

Leia também: Cuidado com os colaboradores tóxicos 

Numa primeira visão, eu tenho que te confessar, Daniel: como gestor, eu prefiro optar pela rotatividade do que pela manutenção de quem não se compromete ou não entrega resultados.

Tem gestores que focam o desenvolvimento das pessoas até não conseguir mais. Outros são mais radicais, como eu, e preferem dedicar tempo em quem realmente se mostra receptivo e aberto.

Existem técnicas de recrutamento que podem lhe ajudar na identificação de alguns pré-requisitos mínimos, mas preste atenção: na duvida, não contrate! Não cresça até ter a certeza de que encontrou a pessoa certa para compor seu time.

Se para desenvolver seu negócio e fazê-lo crescer você precisa de gente qualificada e comprometida, parta deste raciocínio: seu primeiro trabalho deve ser encontrar estas pessoas para só depois desenvolver o negócio.

Sei que não é tarefa fácil, afinal você precisa preencher os postos de trabalho que estão vagos, mas contratar quem não tem o perfil mínimo desejado só para preencher uma vaga é andar para trás.

Lembre sempre que não é apenas no período de experiência que a gente forma um profissional. O período de experiência dá apenas um norte sobre o comportamento do mesmo. Mas para formar mesmo uma pessoa para que entregue resultados no médio prazo, o tempo mínimo é de um ou dois anos.

Após recrutar, dedique um tempo regular e com periodicidade definida para desenvolver estas pessoas, tipo “toda segunda-feira de manhã”.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui. 

Temos vagas!

TEMOS VAGASTodo mundo tem ouvido falar do aumento do desemprego. Mas é incrível: quase toda empresa que conheço está precisando de gente.

É claro que a falta de confiança que estamos vivendo afeta os investimentos e a abertura de vagas, mas tenho pra mim que a tal da crise (isola 🙂 é muito mais de confiança do que de dinheiro. Tenho até reparado o aumento do pessimismo diante do quadro de instabilidade e indicadores ruins. Mas pequenas e médias empresas nunca foram reguladas ou projetadas considerando crescimento do PIB por exemplo. Os resultados dela nada tem a ver com o desempenho do governo.

Acredito que as empresas podem ganhar espaço com a tal da desaceleração econômica. Mas para fazer isso precisam de gente boa e comprometida.

Mesmo que o mercado esteja repleto de mão de obra disponível, a busca por verdadeiros talentos está acirrada.

O que acontece é que as empresas estão mais criteriosas na escolha de sua gente. Se você é um profissional disponível no mercado e está encontrando dificuldade em se recolocar, sugiro repensar de tudo um pouco:

  • Como você está “se vendendo”?
  • Seu currículo e sua aparência passam uma impressão de credibilidade?
  • Se não for aprovado em processos seletivos, solicite um feedback ao selecionador – com a máxima sinceridade e sangue frio. Feedbacks bem dados são milagrosos, inclusive em processos de seleção.

Se você é empresário ou gestor, precisa adotar um repertório de ideias se quiser parar de perder dinheiro com contratações equivocadas. Contratar bem não é uma questão de sorte ou empatia com o candidato. É técnica, muita técnica.

O tema “Recrutamento de Pessoal” também será abordado no Seminário Empresas Inovadoras  que ministrarei no mês de julho na linda cidade de Búzios, litoral do Rio de Janeiro. Serão 4 dias e 3 noites dedicados a pensar e a repensar as estratégias de sua empresa. Além de Recrutamento, falaremos sobre Gestão de Alta Performance, Sucessão e Alavancagem de Vendas. Se você é empresário ou gestor, participe.

É rir pra não chorar: recrutamento de pessoas

humorEu e minha equipe de recrutamento lá no Grupo CDPV – especificamente no serviço RH Vendas, catalogamos, sempre que dá, as pérolas ouvidas ou vistas durante um processo de seleção.

Além de ajudar a descontrair a pressão por resultados, brincamos que temos quase uma espécie de bíblia do que NÃO deve ser feito para buscar um emprego bacana.

Outro dia recebi um currículo de uma pessoa sem qualquer experiência, se candidatando ao cargo de gestão. Você pode não acreditar, mas no campo “experiências anteriores” o rapaz colocou lá: “administro 23 grupos de mensagens no WathsApp”.

Numa entrevista, quando perguntado sobre os fatos mais marcantes de sua vida profissional, o candidato respondeu: “O que mais me marcou foi a minha separação da minha ex-mulher. Isso me deixou desequilibrado emocionalmente”.

Numa entrevista para um cargo que o domínio do inglês era fundamental, foram selecionados currículos que mencionassem este diferencial. Quase chegando ao final da entrevista, a selecionadora  propôs que continuassem a conversa em inglês. “Sim”, respondeu o profissional. “Mas antes, posso ir ao banheiro?”. Ele nunca mais voltou.

É estranho, mas quase todo currículo que recebo consta nele que as pessoas possuem no mínimo inglês e espanhol básicos e que também possuem uso de Pacote Office completo, com Word, Excel, Power Point e Publisher… mesmo não tendo!

As pessoas precisam ser verdadeiras em suas habilidades. Devem colocar o que sabem fazer de verdade! Assim, economizam o tempo de muitos envolvidos, inclusive o seu próprio….

A pérola que eu mais gosto é essa:  quando perguntado sobre suas qualidades e defeitos, o candidato disparou a falar adjetivos positivos. Nada negativo. “Mas e os defeitos?”, insistiu o entrevistador. Candidato responde: “Estou pensando, mas não lembro de nenhum. Sou um profissional completo.”

Fecha o pano.

A origem da rotatividade nas empresas

Muita gente me pergunta o motivo de tamanha rotatividade nas empresas.

E quase sempre eu respondo que problema central está no recrutamento.  Bons profissionais estão empregados ou empregando!  Então, como realizar um processo seletivo que reduza a rotatividade?

Preparei 6 dicas. Continue lendo para conhecê-las…

Continuar lendo