RNEL Rio Kogut contrata o CDPV para maximizar vendas

Destacado

A Rio Kogut, distribuidora da tradicional marca de jóias Rommanel no Rio de Janeiro, contratou o CDPV – Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas para treinar todo o seu time comercial: atendimento ao cliente, vendedoras, operadoras de caixa e líderes das lojas.

Para seu time de quase 100 profissionais, o CDPV criou o “PDC – Programa de Desenvolvimento Comercial“, que mescla treinamento presencial, serviços de Coach, treinamento digital e campanhas de incentivo em ciclos anuais. Por sua amplitude, é, sem dúvida alguma, o programa de treinamento de vendas mais completo já realizado no Brasil.

Uma plataforma exclusiva de treinamento foi criada tornando o conteúdo acessível 24 horas por dia, 7 dias por semana, por qualquer dispositivo. Após cada aula o profissional faz um teste de conhecimentos acumulando pontos num ranking que fica visível para todos os usuários, criando assim uma eletrizante disputa e permitindo reconhecer e recompensar os profissionais que se destacam.

Foi incrível participar da palestra com Diego Maia (ministrada na abertura do programa). Estava desmotivada e até pensei que seria demitida pelas baixas vendas, que seria mais um curso chato para ocupar o tempo. Foi totalmente ao contrário. Estou vendendo e atendendo melhor.  Agora, sou uma das vendedoras mais aplicadas. Agradeço aos meus gestores pela oportunidade e por investirem em nós. E ao Diego, que fez a diferença não só na minha vida profissional, mas na pessoal também. Amei e quero mais“, contou, emocionada, a vendedora Alessandra Marcelino.

Já para Cíntia Silva, gerente geral de operações da Rio Kogut, “a empolgação de cada vendedora com as aulas, a disputa pelo melhor ranking e principalmente, a motivação em vender mais e melhor, são perceptíveis. Muitas estavam desanimadas e isso era repassado ao cliente. As técnicas e ferramentas apresentadas pelo Diego Maia deram o gás que estávamos precisando para elevar os resultados. É diferente de tudo o que já tínhamos visto até hoje“, enfatizou.

Ainda no escopo desta nova parceria, todo o serviço de recrutamento e seleção do time comercial da Rio Kogut passaram a ser realizados pelo RH Vendas, unidade de R&S do Grupo CDPV, única empresa no Brasil especializada no recrutamento e seleção de profissionais de vendas.

Faça como a RNEL Rio Kogut e contrate os serviços de recrutamento, seleção e  treinamento do CDPV e potencialize seus resultados. O aumento das vendas e da qualidade de seus processos pode ser observado a olhos nus. Agende uma reunião conosco clicando aqui.

 

 

Cuidado com os obesos cerebrais

Sempre que eu estou procurando um novo colaborador – e pelo crescimento do Grupo CDPV contratamos gente nova com muita frequência – analiso centenas de currículos. A escolha de alguém para se juntar a equipe é árdua e ao mesmo tempo decisiva para o sucesso futuro.

Então, ao avaliar os candidatos, há muitas coisas que eu sempre tento identificar. Duas delas compartilho hoje com você.

Em primeiro lugar, procuro descobrir o que o candidato fez de diferente ou fora da caixa em sua carreira. No mundo de hoje, seguir as regras normais do jogo não é necessariamente a fórmula vencedora.

  • Será que o candidato será capaz de olhar para um problema com uma nova lente, ou implementar uma abordagem pouco ortodoxa? Se sim, tô dentro!

Minha busca frequente é por membros da equipe que possam trazer um novo ponto de vista, alguém que vai enriquecer ainda mais a criatividade da nossa organização.

Em segundo lugar, eu avalio se a pessoa tem potencial. E a gente consegue fazer isso com perguntas sobre a visão de futuro, não apenas sobre o passado. De nada adianta ter tido uma boa experiência e uma boa formação se o candidato é um obeso cerebral.

Definição de Obeso Cerebral: 100% conectado, sabe tudo, lê tudo… mas não executa. Não tem forças para agir. Vive cansado. Não coloca em prática o que aprende…

Pense nisso e me adicione no Facebook e no Instagram.

Como reduzir a rotatividade de funcionários

Como reduzir a rotatividade de funcionários

Guaraci escreveu: “Olá, Diego. Tenho uma pequena empresa com 25 funcionários  e estou passando por um problemão na empresa. Não consigo montar uma equipe consistente.

Leia também: Mais sobre como treinar a equipe

Já tentei de tudo as estou cada vez mais desesperado, sinto que sem gente boa e comprometida posso colocar em risco tudo que construí com muito sacrifício. O que devo fazer?”

Continuar lendo

Conheça os serviços do RH Vendas e contrate a pessoa certa

Cuidados na hora da contratação

Daniel Paiva escreveu falando que é fã do meu trabalho e já até participou de uma de minhas imersões.

Quer contratar com grandes chances de acerto? Clique aqui e conheça o nosso serviço  de contratação e seleção RH Vendas.

Ele gerencia uma empresa que presta serviço na área de segurança e medicina do trabalho e está encontrando uma enorme dificuldade em recrutamento, não pela falta de interessados e sim pela qualidade deles. Daniel conta que sempre procura orientar, conversar, explicar as regras da casa.

Leia também: Mais sobre como treinar a equipe

Diz que é bastante tranquilo, mas sempre identifica falta de responsabilidade, falta postura no trabalho e falta de motivação, mesmo  deixando claro que a empresa tem uma postura de apostar naqueles que se dedicam.

Ele continua: “Aqui pode-se crescer, mas depende deles. O que faço? Fico demitindo e contratando até encontrar a pessoa certa? Ou tento treinar alguém, mesmo vendo que faltam características que deviriam vir de berço, como o ‘trato com as pessoas’ por exemplo?”

Leia também: Cuidado com os colaboradores tóxicos 

Numa primeira visão, eu tenho que te confessar, Daniel: como gestor, eu prefiro optar pela rotatividade do que pela manutenção de quem não se compromete ou não entrega resultados.

Tem gestores que focam o desenvolvimento das pessoas até não conseguir mais. Outros são mais radicais, como eu, e preferem dedicar tempo em quem realmente se mostra receptivo e aberto.

Existem técnicas de recrutamento que podem lhe ajudar na identificação de alguns pré-requisitos mínimos, mas preste atenção: na duvida, não contrate! Não cresça até ter a certeza de que encontrou a pessoa certa para compor seu time.

Se para desenvolver seu negócio e fazê-lo crescer você precisa de gente qualificada e comprometida, parta deste raciocínio: seu primeiro trabalho deve ser encontrar estas pessoas para só depois desenvolver o negócio.

Sei que não é tarefa fácil, afinal você precisa preencher os postos de trabalho que estão vagos, mas contratar quem não tem o perfil mínimo desejado só para preencher uma vaga é andar para trás.

Lembre sempre que não é apenas no período de experiência que a gente forma um profissional. O período de experiência dá apenas um norte sobre o comportamento do mesmo. Mas para formar mesmo uma pessoa para que entregue resultados no médio prazo, o tempo mínimo é de um ou dois anos.

Após recrutar, dedique um tempo regular e com periodicidade definida para desenvolver estas pessoas, tipo “toda segunda-feira de manhã”.

Pense nisso e me adicione no Facebook clicando aqui. 

Procurando emprego? Confira estas dicas!

Procurando emprego? Confira estas dicas!

É, eu sei que o desemprego está nas alturas. Por isso vou compartilhar algumas ideias para quem precisa conseguir um emprego e quer fazer isso da forma mais rápida possível.

Se você quer dicas sobre como se comportar em um processo seletivo, confira este link. Se você está buscando vagas de trabalho, dê uma olhada nas vagas disponíveis no RH Vendas, empresa do Grupo CDPV.

Continuar lendo

1º de outubro: dia do vendedor (pegue aqui seu presente)!

Toda vez que chego num hotel ou pousada, mesmo que já tenha ido lá várias outras vezes, tenho que preencher uma ficha.

Você sabe: esta ficha pede nome, CPF, endereço, pede pra informar se estamos viajando a lazer ou a trabalho e também um campo chamado “profissão”.

Eu poderia colocar qualquer uma das responsabilidades e ocupações que tenho: diretor de empresa, apresentador de rádio, empresário, escritor, palestrante…  mas sempre coloco a profissão que me considero: vendedor.

Não é só da boca pra fora: até nos contratos sociais das empresas que possuo, conta lá: Diego Maia é vendedor. Assim me considero, esta é minha profissão. Vendo serviços, vendo livros, vendo soluções, vendo ideias.

Estou compartilhando isso com você porque amanha, dia 01 de outubro comemoramos o Dia Internacional do Vendedor e ocupo este espaço pra fazer esta homenagem. Continue lendo…

Tem gente que mesmo atuando com venda, quando precisa preencher uma ficha coloca nomes bonitos e pomposos como “executivo de contas”, “consultor”, “especialista em negócios”, ou mesmo aquelas profissões de origem. Outro dia um representante comercial do setor atacadista preencheu uma ficha la no CDPV se auto intitulando “executivo de vendas sênior”. Nada contra, só acho engraçado 🙂 .

Por outro lado, a maioria esmagadora das profissões possui a atividade comercial entranhada. Por exemplo: advogados, no final das contas são vendedores. Massoterapeutas também. Cabeleireiros, idem! Quase todo mundo é vendedor, mesmo não se vendo como tal.

Meu desejo é que esta profissão seja cada vez mais reconhecida e que ocupe o seu devido lugar: vendedores representam quase 30% da força de trabalho brasileira de forma direta. Além disso, é considerada por muitos primeira profissão do mundo.

Se você é vendedor, parabéns! Se não é, parabenize os profissionais que você conhece!

E avisa pra eles que aqui tem um presente especial: um ebook chamado “Os 10 maiores erros do vendedor”. É grátis! Afinal, é mais suave aprender com os erros dos outros do que com os nossos… Para baixar, clique aqui. 

Aproveite e me adicione no Facebook e na SoundCloud. Se você usa iPhone, me adicione gratuitamente no seu serviço de podcasts clicando aqui.

Como achar o candidato ideal?

Toda empresa sonha em achar profissionais qualificados, determinados, com espírito de equipe, motivados e competentes. Porém, com o apagão de talentos que o país vive, está cada vez mais difícil encontrar o “candidato ideal”. Às vezes nos deparamos com profissionais competentes, mas desmotivados, motivados, mas sem competência; profissionais capacitados, mas má influência para os outros, boa influência, mas improdutivo. Diante dessa realidade, qual a melhor opção? Continue lendo…

Continuar lendo