Tempos de desespero exigem atitudes rápidas e ponderadas

Elaine é empresária do ramo de decoração de interiores e escreve da linda cidade de Cabo Frio, Rio de Janeiro. Ela diz:

“estamos a ponto de tomar uma decisão que todo empreendedor teme: fechar as portas de nossa loja. Nossa empresa está altamente endividada; aluguéis, telefones, folha de pagamento e faturas de fornecedores são pagas com atraso. Estamos sufocados e vivendo das poucas vendas que entram.

Nos sentimos como se tivéssemos comprando dívidas! Temos a opção de sublocar o espaço de um amigo ou simplesmente fazer atendimento externo como já fizemos, o único medo é não ter um showroom para apresentação dos produtos e, assim, não transmitir uma imagem profissionalizada ao nosso cliente. O que fazer?“.

Elaine, não conheço um único empreendedor que se sente a vontade com a possibilidade do retrocesso. Mas uma boa parcela deles descobriu maneiras de lidar com a decepção e reversão, quase sempre de forma instintiva.

A dificuldade é maior quando um problema ameaça não apenas a sobrevivência de sua empresa, mas também o seu bem-estar mental.

Tempos de desespero pedem medidas ponderadas e rápidas. Estancar a sangria deve ser a prioridade, junto com a geração de novas vendas. Uma ação está interligada a outra: ninguém consegue vender com a cabeça cheia de problemas.

Mas Elaine, não sinta pena de si mesma. É que isso é uma tendência natural depois de ter sofrido um revés.

Jamais culpe os que te rodeiam pela bagunça que você se meteu, mas também nada de acreditar que você é uma vítima. Você não é a primeira empresária a sofrer um grande revés e com certeza não será a última.

Pense nisso e me adicione no Instagram!

Como implementar a cultura de vendas

Não importa se você trabalha numa loja, num escritório de advocacia ou numa fábrica.

Não importa se você trabalha na logística, no RH, no financeiro ou na área de vendas.

Se a empresa não está vendendo como deveria, o negocio não está indo bem e é o futuro profissional de todos que está em jogo.

Sempre acreditei que todos numa empresa precisam ajudar, de alguma forma, a empresa a melhorar, a crescer, a vencer. Por que quando isso acontece, todos ganham.

Leia também: Afinal o que o cliente quer? Preço ou qualidade

Uma auxiliar de serviços gerais que atende o cliente com aquela simpatia; o setor de logística que resolve todas as emergências com foco na satisfação do cliente; o profissional de vendas que se preocupa em entregar retornos rápidos e eficazes para seus clientes… tudo deve ser feito para agradar o cliente.

O nome disso é CULTURA DE VENDAS. As empresas bem-sucedidas, de forma consciente ou não, trabalham como este propósito: focadas em entregar uma experiência de alto nível para seus clientes. Vamos combinar, né? Não existe aberração maior do que aquela recepcionista mal humorada ou aquele atendente que destrata o cliente.

Leia também: A motivação diária do profissional de vendas

Todos numa empresa são responsáveis pelos resultados, independente do cargo em que ocupam.

Precisa de um auxílio para implantar a cultura de vendas na sua empresa? Me chama!

Aproveite e me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

É o cliente que paga nossos salários

Não sei com você, mas eu perco a paciência e fico muito insatisfeito quando um atendimento demora; quando tenho que repetir uma solicitação para várias pessoas e principalmente quando um atendente me dá informações erradas ou incompletas.

Confesso que tenho vontade de matar um!

Precisamos de uma vez por todas entender que é o cliente que paga os salários de todos numa empresa. E, dado a tamanha importância, ele dever ser visto como o mais importante da história. Sem clientes, nada existe.

Leia também: Como encantar clientes

Conquistar e manter clientes são tarefas das mais difíceis para qualquer empresa. Eles estão cada vez mais exigentes; a concorrência está a poucos cliques…

Tratar o cliente adequadamente é básico, embora a maioria das empresas não proceda sequer assim.

Leia também: Descomplique a vida de seu cliente

Ganha a atenção e principalmente a  fidelidade do consumidor quem fizer o básico sempre, mas que eventualmente promova alguma surpresa.

Quer melhorar seus resultados comerciais e vender mais? Me chama! Aproveite e me adicione no Facebook e no LinkedIn.

Como atrair clientes e diferenciar sua empresa da concorrência?

Leandro escreve: “Trabalho no ramo de ar condicionado com manutenção, instalação e vendas de equipamentos. Nesses últimos três meses o movimento tem sido muito fraco… Estamos 30% abaixo do faturamento médio… O telefone não toca, os clientes estão cancelado os contratos de manutenção, as negociações estão bem difíceis. O que podemos fazer para melhorar esse cenário? Anúncios são investimentos sem retorno garantido, na internet você mal digita a palavra “ar” e aparecem zilhões de opções… O que fazer? Minha empresa tem 27 anos, e eu aqui trabalho há 9.

Leandro, eu atuaria em duas frentes: uma dedicada a atrair clientes e a outra dedicada a diferenciar seus serviços. Ambas com ações fortes e estruturadas.

1o >> Se sua empresa não pode ser achada na primeira página do Google quando um cliente digita “ar condicionado”, ela não existe. Pelo menos para a maioria das pessoas. Então, arregace as mangas, estude e direcione esforço financeiro e intelectual para se posicionar  na primeira página. Tem como fazer isso com pouco investimento!

2a >> O que um cliente busca quando o assunto é ar condicionado? Respondo por mim: Que o ar esteja esteja sempre funcionando e que nunca dê pane. Que tal diferenciar sua proposta propondo um “Test Drive” gratuito de manutenção por 30 dias? Estou certo de que muitas empresas topariam testar. E se gostarem, certamente efetivarão o contrato. Outra frente simultânea que eu executaria é esta: se a concorrência dá atendimento em 24horas após abertura de chamado, proponha 12h. Se dão 12h, proponha 6h. É claro que você precisará de uma logística afiada e um time comprometido e que nada disso é fácil.

Mas fique atento: somente as empresas capazes de se diferenciar de verdade sobreviverão a estes tempos de vacas magras.

Aceita que dói menos…

Aceita que doi menos - Batman - Robin - Diego Maia

Um comportamento maligno no ambiente corporativo é quando o profissional rejeita feedbacks. Ou quando um colega, ou o líder, ou o cliente fala: “Fulano, você precisa melhorar isto ou aquilo”. E o camarada responde: “É. Eu sei”. Mas não age para mudar.

Quando encontro esta situação tenho a maior vontade de perguntar: “Se sabe, por que não faz?

Receber feedbacks é um instrumento valioso para a melhoria de nossa performance. Ele nos permite saber o que ocorreu bem e o que precisa ser melhorado. Sem feedback – ou melhor, sem acatar os feedbacks – desenvolvemos maus hábitos que reduzem tanto a nossa eficácia, quanto a nossa eficiência. 

Você pode se achar inteligente demais, auto-suficiente, que consegue fazer tudo sozinho…. Só não pode achar que sabe de tudo, porque quando isto começa a acontecer, é sinal de que – no fundo, no fundo, não sabe de nada.

Todos nós podemos fazer melhor, e para melhorar precisamos de feedbacks.

Se seu gestor não tem este hábito, pergunte a ele no que você pode melhorar. Este é mais um caminho incrível para o sucesso profissional e pessoal.

 

Encare os problemas como oportunidades

Tem gente que quando erra e é penalizado por seu erro, “cai atirando”, falando mal de tudo e de todos.

Outros se condenam e se penalizam tanto que machucam não apenas a sua alma, mas a sua tão necessária motivação diária.

Outros se vitimizam e por vezes se tornam escravos de sua própria vitimização.

Precisamos entender que ERRO é pra ser cometido e aprendido. E, claro,  não para ser repetido. Precisamos ficar sempre alertas e assumir o compromisso de errar erros novos, conscientes de que erraremos sempre…

Dito isto, reforço: não importa qual seja a situação, identifique os aspectos positivos e de aprendizado e siga em frente.

As pessoas felizes com sua vida e realizadas em seu trabalho vêem tudo como uma oportunidade – para o crescimento, para a mudança, para a inovação. Mesmo no erro, mesmo na cena triste.

É você quem decide: quando há um problema você vê oportunidades e o transforma em vantagens ou continua sendo vítima propagando as mas práticas, condenado a desmotivação.

A gênia Cora Coralina tem uma frase muito adequada para este nosso momento: “Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.

O perfil do vendedor atual

Meu amigo, você quer vender mais e melhorar o desempenho na hora de lidar com seus clientes? Primeiro você tem que ter em mente que ninguém nasce vendedor, mas gostar e ter paixão de servir as pessoas devem ser condições de um aspirante a vendedor. Afinal, tudo feito com vontade gera resultados muito mais significativos.

Outra característica fundamental é a sua capacidade de comunicação. Você deve ser paciente e atento ao cliente. Fale com clareza, naturalidade, mas com convicção e interaja. Saiba o momento certo de abordá-lo com gentileza, mostrando os benefícios do seu produto ou serviço e, principalmente, porque o comprador deve fechar negócio com VOCÊ.

Tente desenvolver ao máximo suas habilidades para entender o comportamento dos clientes. É preciso que você consiga interpretar as necessidades deles e aprenda conviver com pessoas diferentes, tornando-se capaz de vender para qualquer tipo de cliente. Detectar as preferências dos consumidores assim que entrar em contanto com eles e descobrir o que oferecer, usando o melhor argumento são algumas das ferramentas que você poderá aprender.

Vender é essencialmente atitude. Querer vender faz muita diferença no trabalho. Tenha atitude positiva, metas desafiadoras e mostre esforço e determinação.

Pense nisso e me adicione no Facebook!

 

 

O vendedor será extinto? Diego Maia responde ao jornal O Globo

Destacado

Diego Maia foi um dos entrevistados pelo jornal O Globo de domingo (8) para falar sobre o Impacto da Tecnologia no Setor Varejista.

O CEO do CDPV abordou o polêmico tema e algumas questões: Qual o impacto da tecnologia nas vendas? A profissão vai acabar? Como sobreviver ao mundo moderno? Tantas perguntas e uma resposta: INOVAÇÃO. É preciso inovar para sobreviver a esta nova era.

Diego é categórico em afirmar que ” a figura do ser humano é reduzida, porém a tecnologia não o substitui. Elimina cargos supérfluos!” e acrescenta que apenas os que buscam conhecimento e qualificação irão se destacar. “O vendedor será um agente influenciador do consumo”.

“Empresas que não tinham hábito de treinar e desenvolver, hoje mantêm programas de capacitação continuada. No entanto, fazem isso em um curto prazo, para obtenção de benefícios imediatos e não pensam no longo prazo da operação”, destaca Diego.

A tecnologia está mudando a forma de se relacionar, de interagir com o cliente e público. E tornando os processos mais ágeis, eficazes e assertivos.
Você está preparado? Já adota estas tecnologias em seus negócios? Comece AGORA, pois quem ainda não pratica está ficando para trás.

“Quem quiser permanecer no mercado, crescer, conseguir promoções e aumentos, tem que sair da letargia. E não é só por meio de cursos, mas também tentando absorver todo o tipo de conteúdo, palestras, livros, jornais, eventos. A formação tradicionista está entrando em uma fase de declínio”, enfatiza Diego Maia ao jornal O Globo.

Como ser um líder excepcional?

 

Você exerce alguma atividade de liderança? Se sim, me responda: O que é um líder excepcional? Essa pergunta tem o propósito de fazer a gente pensar em que atitudes e qualidades precisamos ter para motivar nossa equipe de trabalho.

Líderes excepcionais vão além de colocar uma mesa de sinuca no meio do escritório ou agradar as pessoas com campanhas de motivação e incentivo.

Excepcional é dar significado para o trabalho de cada funcionário, é mostrar que cada tarefa faz diferença na vida das pessoas e na evolução da empresa.

Tem que ser justo; se combinou, tem que cumprir.

Tem que criar uma atmosfera positiva, tem que dar voz para que todos expressem seus pensamentos e suas vontades.

Outra dica é recompensar seus funcionários. Aquela história de trabalhar sem esperar nada não funciona muito bem não. A tarefa é simples:

– Pergunte o que seus funcionários querem e tente casar com o que você quer

– Deixe bem claro qual é a performance que você deseja deles e proponha desafios possíveis.

É sempre importante lembrar de interpretar o papel de técnico, como no universo esportivo. Ser um técnico é dar apoio e ajudar as pessoas a crescer.

Conheça a certificação CDPV LAP – Líder de Alta Performance. Uma Formação em liderança diferente de tudo que você já viu, criada para ajudar você a chegar aos topo.

Líderes excepcionais vão além do óbvio que todos estão fazendo. Pense nisso, motive a sua equipe cada vez mais e me adicione no Facebook e no LinkedIn.

RNEL Rio Kogut contrata o CDPV para maximizar vendas

Destacado

A Rio Kogut, distribuidora da tradicional marca de jóias Rommanel no Rio de Janeiro, contratou o CDPV – Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas para treinar todo o seu time comercial: atendimento ao cliente, vendedoras, operadoras de caixa e líderes das lojas.

Para seu time de quase 100 profissionais, o CDPV criou o “PDC – Programa de Desenvolvimento Comercial“, que mescla treinamento presencial, serviços de Coach, treinamento digital e campanhas de incentivo em ciclos anuais. Por sua amplitude, é, sem dúvida alguma, o programa de treinamento de vendas mais completo já realizado no Brasil.

Uma plataforma exclusiva de treinamento foi criada tornando o conteúdo acessível 24 horas por dia, 7 dias por semana, por qualquer dispositivo. Após cada aula o profissional faz um teste de conhecimentos acumulando pontos num ranking que fica visível para todos os usuários, criando assim uma eletrizante disputa e permitindo reconhecer e recompensar os profissionais que se destacam.

Foi incrível participar da palestra com Diego Maia (ministrada na abertura do programa). Estava desmotivada e até pensei que seria demitida pelas baixas vendas, que seria mais um curso chato para ocupar o tempo. Foi totalmente ao contrário. Estou vendendo e atendendo melhor.  Agora, sou uma das vendedoras mais aplicadas. Agradeço aos meus gestores pela oportunidade e por investirem em nós. E ao Diego, que fez a diferença não só na minha vida profissional, mas na pessoal também. Amei e quero mais“, contou, emocionada, a vendedora Alessandra Marcelino.

Já para Cíntia Silva, gerente geral de operações da Rio Kogut, “a empolgação de cada vendedora com as aulas, a disputa pelo melhor ranking e principalmente, a motivação em vender mais e melhor, são perceptíveis. Muitas estavam desanimadas e isso era repassado ao cliente. As técnicas e ferramentas apresentadas pelo Diego Maia deram o gás que estávamos precisando para elevar os resultados. É diferente de tudo o que já tínhamos visto até hoje“, enfatizou.

Ainda no escopo desta nova parceria, todo o serviço de recrutamento e seleção do time comercial da Rio Kogut passaram a ser realizados pelo RH Vendas, unidade de R&S do Grupo CDPV, única empresa no Brasil especializada no recrutamento e seleção de profissionais de vendas.

Faça como a RNEL Rio Kogut e contrate os serviços de recrutamento, seleção e  treinamento do CDPV e potencialize seus resultados. O aumento das vendas e da qualidade de seus processos pode ser observado a olhos nus. Agende uma reunião conosco clicando aqui.

 

 

Participe da MasterClass de Vendas com Diego Maia

Destacado

 

Com conteúdo 100% prático, inédito e inovador, vem aí a 3ª edição da MasterClass de Vendas com Diego Maia, o mais revolucionário treinamento de vendas já realizado no Brasil acontecerá no dia 10 de agosto, no Rio de Janeiro.

As inscrições estão a todo vapor e já estão quase esgotadas!!!

A MasterClass de Vendas é uma injeção de ferramentas, idéias e conceitos inovadores, realizada em um dia de imersão. O programa é ideal para empresários, gestores comerciais, profissionais liberais, profissionais de vendas e imprescindível para quem quer ampliar seus resultados de forma rápida e eficaz.

“A MasterClass foi lançada no Rio de Janeiro em 2017, com recorde de público. Este ano, atendendo a pedidos, faremos a 3ª edição. Irei apresentar conteúdo exclusivo que é facilmente entendido e adaptado, seja qual for o setor, e pode ser facilmente implementado no dia a dia do trabalho”, enfatiza Diego Maia, CEO do CDPV.

Leia também – MasterClass de Vendas 2017 reúne centenas de gestores no CDPV. 

A MasterClass de Vendas é dividida em diversos temas, dentre eles: Mente próspera, Experiência, Postura ativa, Cultura de Vendas, Como Criar uma Máquina de Vendas, NeuroVendas / Neuromarketing, Prospecção e Ações para Alavancar Resultados. A MasterClass não mostra “o que fazer”. Mostra “como fazer”. E é isso que faz a diferença.

Se você quer crescer resultados mesmo em períodos turbulentos, participe com sua equipe. Todos os detalhes estão aqui.

Você também pode levar a MasterClass de Vendas para o seu time, ou se preferir, customizar uma palestra de Diego Maia para sua convenção ou treinamento. Fale conosco!

Promova a experiência e faça o cliente feliz

Os clientes estão cada vez mais exigentes e as empresas precisam correr para se adaptar a essa nova realidade.

A pergunta imprescindível nestes períodos turbulentos é essa: O que fazer para oferecer a melhor experiência de compra para o meu cliente?

Ele, o cliente, não se contenta mais com o pouco, com o básico, com o normal. Ele quer ser surpreendido, quer ter a melhor experiência na hora da compra. Já não é suficiente dar aquilo que ele precisa. É preciso dar aquilo que ele quer.

Pare para pensar nas empresas que você ama de coração. Pode ser uma lanchonete que tem um ótimo atendimento, uma marca de roupas que é boa, bonita e barata, ou uma livraria on line que sempre dá o frete grátis.

Sabe o que essas empresas têm em comum? Elas estão sempre buscando facilitar a vida de seus clientes. Elas se perguntam constantemente no que elas podem melhorar para tornar a experiência de compra mais agradável. É ai que elas saem na frente das outras. Elas tratam o cliente como prioridade número um.

As pessoas não querem ficar esperando no telefone para resolver um problema, ou ter que transferir a ligação para outro departamento. Hoje a coisa funciona assim: Os clientes estão cada vez mais exigentes e as empresas precisam correr para se adaptar a essa nova realidade. Antes que o seu concorrente faça isso primeiro.

Promover EXPERIÊNCIA está deixando de ser um plus e está se tornando necessidade imediata. Cliente tem memória. O que você quer que o seu cliente pense sobre você e sua empresa, seja um consultório medico, uma loja de roupas ou uma distribuidora de cosméticos?

Aproveite para me adicionar no Facebook e no Linkedin.

Como fazer sua startup decolar?

Recebi um e-mail de uma ouvinte que está abrindo uma marca de roupas. Ela conta que o produto tem um grande potencial, mas ela não tem muito dinheiro para investir e pergunta o que fazer para sua startup crescer.

Olha, a melhor coisa a se fazer quando você precisa economizar é bancar o “faz tudo”. Você vai precisar saber de tudo um pouco e estar disposta a aprender funções que você não domina.

Um dos principais trabalhos que você vai precisar fazer é o gerenciamento das suas redes sociais. Monte uma página no Facebook e no Instagram para divulgar sua empresa e comece a criar conteúdo interessante para seus clientes. Por exemplo, se as estampas das camisas são com temas de filmes, você pode pesquisar e fazer posts divertidos contando um pouco da história desses filmes.

Outra tarefa é vender seus produtos e negociar com os clientes. Na hora da venda, é muito comum que o cliente vá logo pedindo um desconto. Neste caso, mesmo em negoiações simples, coloque em pratica a técnica soberana que ensino nos meus cursos de negociação: ao invés de apenas “DAR”, “TROQUE”. Levando mais uma peça, te dou X por cento de desconto.

Todos nós, quando somos clientes, precisamos ter a sensação de que estamos “ganhando” as negociações. Por isso, nunca dê sua melhor condição logo de cara.

Você está abrindo um negócio e tem dúvidas? Me adicione e escreva lá no meu Facebook e no meu LinkedIn!

 

 

R.D.Lay contrata o CDPV para potencializar suas vendas

Destacado

Fundada em 1995 pelos visionários irmãos Roberto, Débora e Laila, a R.D.Lay é pioneira na venda de moda feminina por atacado. Com o objetivo de potencializar seus resultados, buscou no mercado um parceiro que pudesse estruturar o desenvolvimento de seu time, e encontrou o CDPV – Centro de Desenvolvimento do Profissional de Vendas.

Desde março/2018, todo o recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento da força de vendas R.D.Lay, composta por mais de 70 profissionais, está sob a direção do CDPV. O PDC R.D.Lay (Programa de Desenvolvimento Comercial), projeto exclusivo do CDPV que envolve treinamento presencial e digital, treina semanalmente as vendedoras, caixas e gerentes de forma altamente inovadora e prática. O conteúdo entrega ferramentas, argumentos e técnicas de forma que os resultados podem ser observados instantaneamente. 

“Esta parceria é uma das mais importantes conquistas do CDPV. Empreenderemos todos os esforços para fazer valer a confiança depositada em nosso trabalho”, afirma Diego Maia, CEO do CDPV.

Quer aumentar as vendas de sua empresa? Agende uma visita ao CDPV e seja recebido pelo próprio Diego Maia! Fale conosco clicando aqui!

Entrevista com Diego Maia para a TV CRECI-RJ

Destacado

O CEO do CDPV, Diego Maia, falou sobre sua trajetória, fundação do Grupo, mercado imobiliário, entre outros assuntos ao programa ‘Direto ao Ponto’, da TV CRECI-RJ. Diego relembrou histórias de sucesso, barreiras enfrentadas até chegar a presidência de uma das maiores empresas de vendas do Brasil. Citou também os livros publicados, palestras ministradas pelo Brasil, os mais de 1500 artigos publicados. sua atuação há mais de 9 anos nas maiores rádios e como cada conteúdo tem contribuído para o crescimento de empresas e resultados satisfatórios para grandes equipes de líderes, gestores, vendedores e profissionais liberais pelo país.

Outro assunto abordado e importantíssimo foi sobre o mercado imobiliário: o que os corretores esperam para os próximos anos, expectativas e como driblar a crise neste segmento.

“A crise não pode ser desculpa para vender. As oportunidades aparecem. Devemos ter sempre mente próspera e nunca focar na escassez. Acreditar é preciso e possível. Os corretores estão confiantes. Realizamos uma pesquisa inédita do Grupo CDPV para identificar qual a perspectiva dos operadores do mercado imobiliário brasileiro. A insatisfação com os resultados do ano passado é visível, mas com boas doses de treinamento de vendas, somados a bons produtos os resultados de 2018 prometem ser muito melhores!”, ressaltou Diego. 

Leia também – O que os corretores de imóveis esperam para 2018

Confira a entrevista completa!