Como manter o foco

Você está escrevendo um email super importante e de repente chega uma mensagem no seu WhatsApp, de um daqueles 673 grupos que você participa. Ao mesmo tempo, chega uma notificação no Facebook, um alerta do app do banco, o telefone toca, alguém te interrompe.  

Isto lhe parece familiar?

Com toda certeza, isto acontece com todo mundo. Com o empresário, com o funcionário, com o atleta olímpico.

A diferença é que os verdadeiros campeões, no esporte ou na vida profissional, são aqueles que conseguem esquecer temporariamente  mundo ao redor quando precisam entregar algo e só pensam nos movimentos que precisam fazer para conquistar seus objetivos.

É muito fácil se perder neste imenso oceano de informações que vivemos imersos. Mas para ser bem-sucedido, você precisa manter os olhos fixos na bola.

Os profissionais que se destacam em suas áreas são disciplinados e administram bem o seu tempo. Isso ocorre porque eles desenvolvem a habilidade de focar e ignorar qualquer coisa que entre no caminho da sua produtividade.

Pense em quanto você poderia ser mais produtivo se os agentes da desconcentração não existissem?

Não dá para eliminá-los e fingir simplesmente que eles não existem, mas o simples fato de compreender que cada minuto concentrado em algo que não agrega ao seu trabalho, é um minuto perdido. E o tempo, você sabe, ele não para, ele não volta.

A palavra chave é “FOCO”. A técnica é se manter

Semana do Desestresse – Parte 5

Semana do Desestresse - Parte 5

Foi um pesquisador húngaro chamado Hans Selye quem fez os primeiros estudos sobre o estresse em 1936. Ele colocou cobaias em situações estressantes e observou um padrão de resposta nelas. Ele descobriu que o estresse tem três fases: alarme, resistência e esgotamento. É justamente depois dessa fase do esgotamento que costumam aparecer doenças como úlceras, hipertensão e artrites.

Como aqui ninguém quer ficar doente, apresentei a Semana do Desestresse, aqui no meu blog. Foram 5 dias dando ideias simples para combatermos este terrível mal.

E minhas dicas finais:

Continuar lendo

O vício da telinha… #diegomaia

vicio em smartphoneA condução da vida através do smartphone nem é mais uma febre, é uma realidade. Você constata que as pessoas estão enfeitiçadas pela telinha quando vai a um restaurante e vê casais conectados, quando anda na rua e todo mundo com os dedinhos afoitos, quando entra num elevador e ninguém mais se cumprimenta: só tem olhos para o celular.

Está prejudicando até a postura; me refiro a coluna vertebral mesmo.

Fico imaginando quantos casais, pais, filhos e amigos nem mais conversam no mundo real; só sabem dos acontecimentos pelo Whatsapp, Facebook, Instagram e todas as outras redes sociais.

Teve até um tonganês que transmitiu ao vivo pelo Facebook, direto da Califórnia, o parto de seu filho, com direito a sangue, choro, apreensão e alegria. É a ficção da telona dando passagem para a vida real da telinha…

Uma situação terrível para mim é quando um chefe não desgruda do aparelhinho quando está conversando com seus funcionários. Mas sabe qual é a pior mesmo? Vendedores, balconistas e até operadoras de caixa que atendem o cliente com os dois olhos na telinha.

É claro que eu sou usuário de smartphone e não prego aqui nada relacionado a desapego.

  • Mas será mesmo que as melhores coisas da vida acontecem nos dispositivos?
  • Será que a produtividade e a performance acontecem somente pra quem está vidrado neles?
  • O que os homens e mulheres de negócios de 10 ou 15 anos atrás faziam para se informar, para se comunicar, para conquistar?

Ah, já sei!

  • Eles liam mais livros, jornais e revistas. Por isso sabiam mais, escreviam melhor.
  • Eles conversavam e não trocavam mensagens. Talvez por isso as relações – inclusive as comerciais – fossem mais verdadeiras.
  • Eu realmente acho que se quisermos melhorar nossa produtividade, precisamos deixar o celular um pouco de pouco.

Se você também concorda, compartilhe este post. O mundo agradece…

Como usar o WhatsApp para gerar e ampliar negócios. #diegomaia

whatsappUma pesquisa inédita do Sebrae Nacional feita em parceria com o E-commerce Brasil mostra que quatro em cada dez donos de lojas on line de pequeno porte do país, aqueles que faturam até R$ 3,6 milhões por ano, usam o Whatsapp para atender o cliente. Em um ano, o percentual dobrou, o que evidencia a enorme popularização da prática.

De acordo com pesquisa,  39% das empresas usam o whatsapp, tanto no pré como no pós venda, percentual que era de apenas 19% em 2014.

A pesquisa que mostrou o crescimento do aplicativo como canal de atendimento também evidenciou a redução do uso do telefone, que caiu de 64% para 55%.

Os dados revelam ainda que, quanto menor o porte da empresa, maior a utilização do aplicativo de mensagem instantânea.

A vantagem mais impactante dessa ferramenta é que as mensagens são entregues rapidamente. O recebimento de imagens de produtos, confirmação e acompanhamento de pedidos, informações e até promoções está ganhando cada vez mais a adesão dos usuários.

Algumas dicas para você que vêm utilizando o Whatsapp no relacionamento com clientes:

  1. Tenha um número somente para esse fim e não misture contatos pessoais com profissionais.
  2. Utilize boas práticas na comunicação dando especial atenção ao linguajar e a erros gramaticais e de digitação.
  3. É preciso agilidade na resposta. O aplicativo presume a instantaneidade da comunicação.
  4. Informe o horário em que estará disponível on line para que não haja reclamações quanto à falta de atendimento.