Se a gente falasse menos talvez compreendesse mais!

A música “Congênito”, Luis Melodia, tem povoado a minha cabeça ultimamente e hoje, te mostro como entender essa letra pode te tornar um profissional melhor!

Não sei te dizer bem o porque, mas a música “Congênito” deixada por Luis Melodia tem povoado a minha cabeça ultimamente. Em especial os dois versos iniciais, que diz assim: Se a gente falasse menos / talvez compreendesse mais.

Pensa comigo: é de uma sabedoria incrível e serve para tudo.

Tenho usado esta poesia para estimular que vendedores e representantes comerciais treinados por mim em palestras e treinamentos, escutem o cliente. Porque, a maioria dos que conheço, acham que vender é falar, falar e falar.

A forma de vender mudou! Acabou a era dos discursos em forma de monólogo. O papel do profissional de vendas é fazer perguntas e não mais, somente, responde-las.

Powered by Rock Convert

O mesmo tenho falado a líderes e a empresários: nosso papel como gestor não é e nem pode ser somente dar ordens, explicar sobre a criação do universo e ser o único correto da historia.

ACORDA! O mundo mudou, e muito!

O trabalho do bom gestor – e ai eu defino como bom gestor aquele que consegue extrair o melhor de sua equipe, fazendo com que ela se sinta valorizada e estimulada a alcançar metas – deve ser ouvir mais, perguntar mais.

Passamos a maior parte do nosso tempo útil no trabalho – e tem gestor que que não sabe nem a idade e o nome dos filhos dos seus liderados.

Em suma, “se a gente falasse menos / talvez compreendesse mais” serve pra todo mundo. Serve, por exemplo, pro marido, pro filho, pro professor e até pro presidente da República.

Portanto pense nisso e me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar?

Diego Maia é um dos palestrantes de vendas e motivação mais contratados do Brasil. Leve Diego Maia para sua convenção de vendas e garanta uma palestra inspiradora! 
Solicite uma cotação clicando aqui!

Powered by Rock Convert

Veja pode se interessar também por estes posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.