Como implementar a cultura de vendas

Não importa se, por exemplo, você trabalha numa loja, num escritório de advocacia ou numa fábrica. Da mesma forma que não importa se você trabalha na logística, no RH, no financeiro ou na área de vendas.

Se a empresa não está vendendo como deveria e, consequentemente o negócio não está indo bem, o futuro profissional de todos fica em jogo.

Sempre acreditei que todos numa empresa precisam ajudar, de alguma forma, a empresa a melhorar, a crescer, a vencer. Por que quando isso acontece, certamente todos ganham.

Uma auxiliar de serviços gerais que atende o cliente com aquela simpatia; o setor de logística que resolve todas as emergências com foco na satisfação do cliente; o profissional de vendas que se preocupa em entregar retornos rápidos e eficazes para seus clientes… tudo deve ser feito para agradar o cliente.

O nome disso é CULTURA DE VENDAS. As empresas bem-sucedidas, de forma consciente ou não, trabalham como este propósito: focadas em entregar uma experiência de alto nível para seus clientes. Vamos combinar, né? Não existe aberração maior do que aquela recepcionista mal humorada ou aquele atendente que destrata o cliente.

Acima de tudo: Todos numa empresa são responsáveis pelos resultados, independente do cargo em que ocupam.

Precisa de um auxílio para impulsionar suas vendas? Então conheça o VENDAS DE ALTO IMPACTO!

Todos os detalhes do treinamento Vendas de Alto Impacto, que é destinado a empresários, profissionais liberais, representantes comerciais e todo mundo que precisa melhorar resultados de vendas estão aqui.

Aproveite e me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

Resumindo… #BóraVoar!

Quanto mais tecnologia, mais humanos precisamos ser.

Produzido pela Hanna-Barbera a partir da década de 60 e relançada na década de 80. Os Jetsons” introduziu no imaginário das pessoas o que seria o futuro da humanidade. Carros voadores, cidades suspensas, trabalho automatizado, todo tipo de aparelhos eletrodomésticos e de entretenimento, robôs como criados. Tudo cada vez mais real e, alguns, já presentes. 

Como a série animada retrata um futuro tecnológico fictício, muitos dos objetos mostrados não existiam na época de exibição do desenho. Mas muitos destes gadgets já são realidade na vida das pessoas.  

Um exemplo disso são as chamadas em vídeo, ou vídeo chats. No desenho elas aparecem  com frequência  no trabalho do patriarca George Jetson que conversava com seu chefe Cosmo Spacely.

Na época era, tal tecnologia era coisa de ficção cientifica. Hoje é a mais viva realidade e, teoricamente, fazemos isso gratuitamente através do WhatsApp e FaceTime, por exemplo.  

E este não é o único exemplo. Ainda não temos a robô Rose, mas diversos aparelhos já automatizaram as tarefas domésticas.  

O que será o amanhã? Existem até previsões, mas é impossível saber com precisão quando tudo isto irá acontecer, mas vai acontecer. Para que a revolução não substitua os corações e mentes, compartilho com você o meu mais novo lema de vida

Quanto mais tecnologia, mais humanos precisamos ser.” 

E isto vale pra tudo! Pras relações pessoais, para as relações comerciais, para as relações com clientes, com chefes, com funcionários, isso porque tecnologia alguma substitui um relacionamento humano!

Me adicione no Facebook, no Instagram e no Spotify.

#BóraVoar

Quais as maiores causas do estresse no trabalho?

Pesquisadores da Harvard Business School e da Universidade de Stanford analisaram os resultados de mais de 200 estudos para entender melhor os efeitos do estresse no local de trabalho.

Eles descobriram que quando a gente fica muito preocupado com a perda do emprego, aumentamos em 50% a probabilidade de ter uma saúde ruim e que ter um emprego excessivamente exigente faz a gente ampliar nossas chances de ter alguma doença diagnosticada por um médico em 35%.

Mas existe um fato que aumentou em 75% as chances da gente desenvolver alguma doença alavancada pelo estresse no trabalho. Tem ideia do que seja? Não? Eu te conto: trabalhar com chefes ruins (de acordo com pesquisa da American Psychological Association). O problema é que 59% dessas pessoas que são estressadas por conta dos chefes ruins, alegam nas pesquisas que não largariam o emprego, mesmo infelizes.

Leiam também – Como se estressar menos no ambiente de trabalho. 

Trabalhar com chefe ruim faz mais mal que cigarro. E ficar num emprego em que você é liderando por um chefe desagregador e desmotivador é direcionar sua carreira para o insucesso. Eu prefiro muito mais o risco do mundo do desemprego do que trabalhar com gente do mal.

Me adicione no Facebook, no Linkedin e no Instagram.

 

Quanto mais a empresa cresce, mais problemas aparecem

Crescer é ótimo, mas e preciso saber como crescer.

Tudo parece estar às mil maravilhas, sua empresa está crescendo e vendendo e o cenário indica um futuro cada vez melhor. Aí de repente a coisa começa a desandar, você percebe que os concorrentes estão te alcançando, seus funcionários agora são muitos e estão começando a bater cabeça, a rotina que você tinha já não dá conta.

Leia também: Três erros que até os melhores líderes cometem

Eu chamo isso de “problema bom”. Crescer é ótimo, mas e preciso saber como crescer.

Porque quanto mais a gente cresce, mais problemas aparecem.

Continuar lendo

Coloque seus colaboradores em primeiro lugar

Mentalidade centrada no funcionário

Eu estava lendo outro dia em uma famosa revista no mundo corporativo sobre como as empresas podem colocar seus funcionários em primeiro lugar. Eles chamam essa maneira de pensar de mentalidade centrada no funcionário, e os números comprovam que funcionários mais engajados entregam até 147% a mais de resultados. Muito interessante, não é?

Continuar lendo