Abrir ou não uma franquia? Eis a questão!

Neste programa de estreia na Antena 1 FM quero responder o e-mail da Mariana. Ela conta que sempre trabalhou na área administrativa. Mas em abril do ano passado houve algumas demissões e mudanças: ela foi transferida para área de atendimento ao público.  Mariana diz que se precisar atender pessoas, faz sem problemas, mas atuar diretamente e constantemente com atendimento ao público não é o seu perfil. 

Por conta disso está insatisfeita e frustrada; apesar de uma certa “segurança” no atual cargo, tem o desejo de mudar.  Às vezes pensa em pedir as contas e investir em um negócio próprio, franquia pra ser mais exato.

E a pergunta é essa: Mariana deve dar esse passo, mesmo com a instabilidade política e econômica do país?

Mari, a decisão de empreender precisa ser tomada com a mais absoluta convicção de que vai dar certo. E a gente só consegue essa convicção estudando, planejando e avaliando os cenários. Se as dúvidas se sobrepõem as certezas, é melhor continuar planejando.

Investir em uma franquia é, na maioria das vezes, a opção mais segura: os processos já existem e os modelos estão prontos. Mas é necessário avaliar muito, sugiro sempre conversar com pelo menos uns 3 franqueados daquela marca.

Leia também – O medo da mudança.

Mas acima de tudo, o futuro franqueado deve gostar muito do ramo. Não basta investir em uma franquia de restaurante se não gosta de cozinhar. Não pode investir em franquia de varejo, se não tem aptidão ou prazer em lidar com o público, que me parece ser o seu caso. 

Por fim, quero te dizer que trabalhar no que não gostamos é a nova forma de escravidão! Suportar um emprego frustrante para pagar contas é um suicídio diário e programado. 

Me adicione no Facebook e no Instagram. Você encontra os links para todas as minhas redes sociais aqui no blog! 

Dicas de micro franquias inovadoras

Dicas de micro franquias inovadorasCássia é enfermeira e mora em João Pessoa, na Paraíba. Está querendo abrir um negócio e pensou em uma esmalteria. Diz ter R$ 50 mil para investir e deseja ideias de  micro franquias inovadoras.

Leia também: Montar um negócio no Brasil é uma decisão inteligente? 

Querida Cássia: decidir empreender não é uma tarefa simples; precisa de coragem, determinação e, claro, muita busca por conhecimento. E isto você está fazendo.

Considerando a rentabilidade média da poupança nos últimos meses; se este seu capital ficasse parado, você receberia algo próximo a R$ 250 por mês. Com esta informação, entendo que, para começar, você deve considerar:

Leia também: Como fazer sua startup decolar?

  • Quanto você precisa receber mensalmente da empresa para se manter?
  • No mínimo e no pior dos cenários, descontando todos os custos direto e indiretos – inclusive o seu salário mensal, a empresa precisa deixar pelo menos R$ 250 de lucro todo mês. Por que se não for assim, é melhor deixar o seu dinheiro paradinho onde está.

Com este capital, recomendo que você identifique franquias que possam ser operadas a partir de sua casa, visando minimizar os custos e reduzir as chances de fracasso. E são muitas.

Continuar lendo

Empreender depois dos 50

Alexandre, um ouvinte antigo, escreve: “Diego, minha prima já passou dos cinquenta anos de idade, e só agora decidiu que tem que fazer algo para aumentar sua renda. Você tem alguma dica de negócio?”. Continue lendo e veja o que respondi…

 

Continuar lendo