PARE DE RECLAMAR DA FALTA DE VENDAS E TOME UMA ATITUDE!

Primeiramente: PARE DE RECLAMAR DA FALTA DE VENDAS, jogando a culpa no mercado, no Bolsonaro, no Temer, na Dilma…

Em outras palavras: Pare de terceirizar suas responsabilidades! O problema não é o preço não, o problema não é a concorrência.

O problema é que você precisa expandir seu campo de visão para conseguir enxergar o que fazer para vender mais.

Sinceramente, continuar fazendo as mesmas coisas vai garantir a você somente os mesmos resultados que você tem agora.

Mesmo na pior das crises sempre tem alguém vendendo enquanto a gente ta chorando. E quem consegue não é porque ta na hora certa ou com a pessoa certa. É porque sabe o que precisa ser feito para vender, sabe mexer no coração do cliente. E eu posso te ajudar: estou lançando o meu curso mais poderoso, mais impactante e com um conteúdo muito profundo. É o VENDAS DE ALTO IMPACTO, um curso digital de 6 semanas que vai te mostrar um método pratico e viável para aumentar suas vendas, independente do seu segmento.

Se você é empresario, vendedor, gerente, representante comercial ou profissional de liberal de qualquer ramo esse curso é pra você!

Me adicione no Instagram, no Facebook e no Spotify!

ACIMA DE TUDO, BóraVoar!

Abrir ou não uma franquia? Eis a questão!

Neste programa de estreia na Antena 1 FM quero responder o e-mail da Mariana. Ela conta que sempre trabalhou na área administrativa. Mas em abril do ano passado houve algumas demissões e mudanças: ela foi transferida para área de atendimento ao público.  Mariana diz que se precisar atender pessoas, faz sem problemas, mas atuar diretamente e constantemente com atendimento ao público não é o seu perfil. 

Por conta disso está insatisfeita e frustrada; apesar de uma certa “segurança” no atual cargo, tem o desejo de mudar.  Às vezes pensa em pedir as contas e investir em um negócio próprio, franquia pra ser mais exato.

E a pergunta é essa: Mariana deve dar esse passo, mesmo com a instabilidade política e econômica do país?

Mari, a decisão de empreender precisa ser tomada com a mais absoluta convicção de que vai dar certo. E a gente só consegue essa convicção estudando, planejando e avaliando os cenários. Se as dúvidas se sobrepõem as certezas, é melhor continuar planejando.

Investir em uma franquia é, na maioria das vezes, a opção mais segura: os processos já existem e os modelos estão prontos. Mas é necessário avaliar muito, sugiro sempre conversar com pelo menos uns 3 franqueados daquela marca.

Leia também – O medo da mudança.

Mas acima de tudo, o futuro franqueado deve gostar muito do ramo. Não basta investir em uma franquia de restaurante se não gosta de cozinhar. Não pode investir em franquia de varejo, se não tem aptidão ou prazer em lidar com o público, que me parece ser o seu caso. 

Por fim, quero te dizer que trabalhar no que não gostamos é a nova forma de escravidão! Suportar um emprego frustrante para pagar contas é um suicídio diário e programado. 

Me adicione no Facebook e no Instagram. Você encontra os links para todas as minhas redes sociais aqui no blog! 

Oportunidades mesmo na crise

Oportunidades mesmo na criseCom o agravamento da crise política no Brasil, vemos todos os dias um filme de terror no noticiário. É medalhão sendo preso, fulano de tal sendo investigado, empresa fechando, shoppings vazios.

Leia também: Como fazer sua startup decolar?

A situação é preocupante. Mas mesmo diante de cenários tristes, quem empreende  e quem trabalha não pode embarcar no navio fantasma.

Digo isto porque não podemos permitir que os desmandos, as crises e as brigas políticas ditem o rumo de nossos negócio e de nossas carreiras.

Leia também: Ações que fazem o cliente procurar você

Somos bombardeados por notícias ruins, mas precisamos disseminar as notícias boas junto ao nosso time, junto aos nossos clientes, junto aos nossos fornecedores.

As oportunidades existem e isto não é ficção. É claro que tem gente perdendo, tem gente fechando, tem gente sendo demitida. Mas não sobrevive a empresa e o profissional que passa a maior parte do tempo debatendo derrotas.

Neste momento, precisamos inverter a ordem natural das coisas, mudar o status quo da situação.

Se você trabalha num shopping e o movimento está fraco, menor do que o costume, é seu trabalho ajudar a criar o próprio movimento.

O mesmo vale para varejo como um todo: restaurantes, lojas de rua, salões de beleza!

A pergunta que você deve se fazer todos os dias é:

Como você, independente de sua função, pode ajudar sua empresa a vender mais mesmo em períodos turbulentos?

Ops, em tempo: a crise é real. É política, é econômica e é de confiança, não foi criada pelos meios de comunicação não…