Metas ou Desejos de realizar?

“É importante ter metas. Mas o fundamental é planejar cuidadosamente cada passo para atingi-las”. Frase do Bernardinho.

Meta é diferente de vontade. Porque vontade de fazer alguma coisa melhor todo mundo tem! Tire as ideias da cabeça, coloque no papel e, claro, depois execute-as, uma por uma. Pensamento positivo não adianta de nada se não colocamos as ideias em prática.

Metas de vida e de trabalho precisam ser:

Mensuráveis. Exemplo: uma coisa é dizer “vou passar 3 horas por dia com a minha família”. Outra, totalmente diferente, é dizer “vou passar mais tempo com a família”. Porque nesta segunda, não concretizamos nada!

Metas precisam ser específicas. Dizer “vou comer 5 frutas por dia” é o caminho. Dizer “vou ser mais saudável” não é algo específico.

Metas precisam ser temporizadas. Exemplo: “A partir de hoje chegarei em casa às 20h para jantar com meus filhos”. Pensar e afirmar algo do tipo “como eu tenho vontade de chegar mais cedo e jantar com meus filhos” você estará apenas expressando um desejo.

Metas precisam ser Mensuráveis, Específicas e Temporizadas.

Pense nisso, determine suas metas e me adicione no Facebook clicando aqui. 

Os desafios de cada dia…

“A vida está cheia de desafios que, se aproveitados de forma criativa, transformam-se em oportunidades”

Frase de Marxwell Maltz –  (10/03/1899-07-04-1975) foi um cirurgião que desenvolveu a Psico-Cibernética ou Psicocibernética – um sistema empregado para melhorar a auto-imagem e a auto-confiança, de modo a conduzir a uma vida mais bem sucedida.

Mais sobre o Movimento “Cultura da Produtividade”

MOVIMENTO CULTURA DA PRODUTIVIDADE - DIEGO MAIAVocê que me acompanha no rádio, por aqui e nas redes sociais sabe que ontem lancei o movimento “Cultura da Produtividade”. É minha contribuição para combatermos tudo aquilo que nos tira o foco e faz com que sejamos improdutivos no trabalho.

A proposta é que você foque em ser produtivo e não em estar ocupado.

De acordo com o dicionário, Produtividade é característica ou condição do que é produtivo e também a capacidade de produzir. Ter colaboradores que produzem aquém do que poderiam e deveriam é um problema crônico para as empresas.

Tá bom. Eu sei que ser produtivo na era digital é uma tarefa difícil. São tantas distrações. Mas se você quer ser um profissional mais produtivo, dê uma olhada nestas ideias:

Um estudo da multinacional Staples descobriu que 66% de seus funcionários gastam mais de oito horas por dia no trabalho e que mais de 25% deles não fazem uma pausa além do almoço. Um em cada cinco entrevistados disseram que se sentiam culpados ao fazer pausas.

Claro que não é pra você ficar mais tempo fora do que dentro do escritório. Porém, está comprovado que para ser ainda mais produtivo, você precisa fazer pausas de 20 minutos a cada 90 minutos de trabalho.

Outra questão: viver checando o e-mail não é o seu trabalho!

Sei que é tentador e viciante dar uma olhada no seu e-mail à procura de coisas mais fáceis ou interessantes para fazer, mas isso só suga o tempo que você deveria estar dedicando a outras prioridades. Além disso, geralmente isso produz muito pouco em termos de resultados concretos. Recomendo que, no máximo, as pessoas abram seus e-mails nas horas cheias. Esta de ficar clicando no “enviar e receber” a todo minuto empaca qualquer pessoa.

Siga esta ideia: foque em ser produtivo, não em estar ocupado. E ajude a divulgar o movimento “Cultura da Produtividade” aí na sua empresa.

Movimento “Cultura da Produtividade”. Divulgue esta ideia! #diegomaia

MOVIMENTO CULTURA DA PRODUTIVIDADE - DIEGO MAIAUm problema crônico que afeta todas as empresas é a ‘anti produtividade’. Sei que cada dia que passa temos que fazer mais coisas, temos mais tarefas, mais compromissos.

E aí, todo este excesso nos faz cair numa armadilha clássica: a gente fica com aquele sentimento que trabalhamos muito mas não produzimos nada.

Por isso começo hoje a campanha “Cultura da Produtividade” e convido você a entrar neste movimento, replicando estas ideias aí na sua empresa.

A proposta é que você foque em ser produtivo e não em estar ocupado. Com a mais absoluta certeza é possível produzir mais e melhor, proporcionando uma melhor entrega para todas as pessoas que estão envolvidas com suas demandas. E isto vale para todos os cargos e profissões: empresários, funcionários, médicos, advogados…

Algumas ideias:

Ao invés daquela lista interminável de tarefas, diminua a quantidade de itens. Ter 15 ou 20 coisas que precisam ser feitas todos os dias na sua lista aumenta suas chances de se perder no meio do caminho e cumprir poucas tarefas. Priorize de três a cinco itens principais e foque suas energias neles.

Suas contas em redes sociais, sites de notícia ou de humor, mensagens em chats e outras distrações não podem tomar grandes porções do seu tempo. Esses serviços não são o seu trabalho, e usá-los demais não farão suas atividades ficarem prontas.

Notificações com convites de jogos ou comentários em fotos apenas desviam  o seu foco e atrasar o prazo de entrega da tarefa. Estes itens são anti produtivos.

Por isso, se quiser mesmo ser produtivo, comece nas configurações desses serviços. Desative as notificações do celular, ou mesmo desligue-o durante uma atividade que demande maior concentração.

Siga esta ideia: foque em ser produtivo, não em estar ocupado. E ajude a divulgar o movimento “Cultura da Produtividade” aí na sua empresa. Aqui no blog publicarei durante toda esta semana dicas incríveis. Colocá-las em prática só depende de você.

Como implementar pesquisas de satisfação de clientes

Eu sempre recomendo a líderes e empresários que executem uma forma consistente e periódica para ouvir o cliente, quer seu negócio seja um comércio de roupas, uma fábrica de sabão ou um centro de beleza.

O que o cliente acha sobre sua empresa? Sobre o preço? Sobre a execução da compra? Sobre o atendimento?

Tomar decisões e conduzir negócios baseado no argumento “eu acho que o cliente acha isso” pode ser um ótimo caminho para o… fracasso.

Continuar lendo

O que destrói a sua produtividade no trabalho?

O que destrói a sua produtividade no trabalho? Navegar na internet? Conversar com colegas no café? Uma pesquisa do americano especializado em recrutamento  Career Builder consultou mais de 5000 funcionários – incluindo gestores e profissionais de RH – para descobrir como perdemos tempo no nosso dia a dia profissional.

O resultado não é de todo inesperado: 24% admitiram que, durante um dia inteiro de trabalho, gastam pelo menos uma hora com ligações, emails ou mensagens “pessoais”. 21% estimaram que também gastam cerca de uma hora navegando por assuntos aleatórios na internet.

Quando questionados o que considerariam como o “vilão” de sua produtividade no dia a dia, metade deles responderam que era o celular. Veja só a lista dos 10 maiores vilões, em ordem decrescente:

  1. 1) Celular/Mensagem de Textos – 50%
  2. 2) Fofoca – 42%
  3. 3) Internet – 39%
  4. 4) Mídias Sociais – 38%
  5. 5) Lanches da tarde ou paradas para o cigarro – 27%
  6. 6) Conversas com colegas – 24%
  7. 7) Reuniões – 23%
  8. 8) Email – 23%
  9. 9) Interrupções de colegas de trabalho que passam pela sua mesa – 23%
  10. 10) Colegas colocando ligações em viva-voz – 10%

O estudo também listou o que os funcionários afirmaram ter visto de mais estranho seus colegas fazerem – enquanto eles deveriam estar ocupados no trabalho. 

  • Funcionário fazendo bolas de chicletes no frio para ver se elas congelam ou estouram
  • Mulher casada olhando site de encontros e depois negando o que está fazendo, mesmo com a tela do computador provando o contrário
  • Homem tirando selfie no banheiro
  • Mulher depilando as pernas no banheiro
  • Funcionário dormiu e depois afirmou que estava só rezando
Queria terminar este post com um “Yeh, Yeh”, afirmando ser pegadinha do Malandro… Mas é a mais pura verdade!

O que faz você feliz?

Toda vez que me chamam para uma palestra – e olha que eu faço mais de 15 por mês – tomo um cuidado incrível para conhecer o mais profundo possível as pessoas daquela empresa. Procuro entender quem são, como são e acima de tudo, qual a satisfação delas com o trabalho…  confira esta história, em áudio! Tem menos de 2 minutinhos…

O difícil controle nas vendas através de cartão de crédito…

José Campos é um empresário do ramo varejista. Há mais de 15 anos montou uma distribuidora de produtos descartáveis, atendendo pessoas físicas e jurídicas.

O negócio está consolidado, não está sentindo tanto a influência da crise econômica, mas entende que a hora de profissionalizar seu negócio é agora.

Na longa mensagem que me mandou, compartilhou seus diversos gaps. O mais relevante deles: não tem a menor ideia de como controlar as vendas que faz com cartão de crédito, principalmente as vendas parceladas.  Ele nunca tem certeza de que os recebimentos estão corretos, se as taxas aplicadas são as mesmas negociadas em contrato e não sabe se a operadora deixa de passar alguma venda.

Zé, as credenciadoras de cartão de crédito apresentam inúmeras facilidades, mas é verdade que é muito difícil ter um sistema que monitore e controle os abatimentos que eles fazem com taxas, estornos, tarifas…

É muito difícil conciliar tudo isso. Por mais regrado que os empresários sejam, os números possuem uma incrível dificuldade em se achar.

Há bons sistemas que fazem isso; recomendo expressamente que busque esta solução. Mas se sua empresa ainda não  é sistematizada ou se o sistema não contabiliza com perfeição, é necessário recorrer ao velho e bom Excel.

Eu e minha equipe criamos uma planilha de controle de recebíveis, como são chamadas as vendas em cartão de crédito e débito e ela está disponível gratuitamente para download AQUI!

É uma mão na roda para empresários que precisam controlar melhor as vendas e os recebíveis no cartão de crédito à vista ou parcelado.

Aproveite que já está aqui e curta minha página no Facebook.

Dia 23/7 tem ‘Imersão para Empresários’ no Rio de Janeiro

Olha, eu sei exatamente tudo que você passa na condução de um negócio.

Pressões de toda sorte, problemas com funcionários, cliente inadimplente, cliente que te troca pelo concorrente… as vezes faltam fôlego e entusiasmo para seguir caminhando.

Mas nós podemos auxiliar e melhorar a performance da sua empresa. Por isso criamos a “Imersão para Empresários”. 1 dia inteiro dedicado a fornecer insigths, ferramentas e estratégias para revolucionar a sua empresa.

É um encontro para empresários de todos os setores da economia, que sabem que em momentos turbulentos existem centenas de oportunidades de crescimento e de melhoria.

Todas as informações estão aqui, mas o vídeo abaixo de explica tudo direitinho…

O funcionário se demite de quem: da empresa ou do chefe?

Pode apostar:  a maior parte das pessoas que pede demissão, não está se demitindo da empresa em que trabalha, mas, sim, do seu líder.

É claro que, vez ou outra pode ser o surgimento de uma oportunidade melhor, da falta de visão de futuro do demissionário ou mesmo, um processo de esgotamento no atual emprego. Afinal, não existe mais o emprego eterno… Pode ser também a não identificação com novos modelos, novas práticas, novos superiores…

Mas o gestor imediato é quase sempre é o principal condutor deste processo, sempre por conta de algumas atitudes ou pensamentos degenerativos. Vou citar 5 deles:

1. Líder que é mais um operacional, que se esquece de fazer gestão de pessoas.
2. Privilegiar mais uns do que outros
3. Não dar feedbacks constantemente na equipe, os negativos e, principalmente, os positivos.
4. Lider que se impõe pelo poder
5. Contratar pessoas certas, mas para a vaga errada. E vice-versa!

São velhos problemas, difíceis de serem percebidos pelo gestor. Mas talvez, só talvez, esteja no cerne do grande problema que assola a economia: a rotatividade, a insatisfação e a ausência do verdadeiro espírito de equipe.

Publiquei aqui um capítulo inteiro do livro “Como ser um Gestor de Sucesso. Esta leitura pode lhe ajudar a superar os incríveis obstáculos que vivemos todos os dias.  Como ser um Gestor de Sucesso – Primeiro Capítulo – Amostra

Para comprar seu exemplar, acesse as melhores lojas virtuais do país ou clique aqui.

Outras dicas de oratória

Joice é funcionária de uma grande construtora e assistiu uma de minhas palestras na empresa em que trabalha. Ela mandou uma mensagem linda, falando do quanto as minhas ideias a fizeram pensar diferente sobre o seu trabalho, sua vida e até mesmo sobre seu relacionamento com seus chefes. No final pediu dicas sobre como falar em público, já que frequentemente é convidada a apresentar resultados de seu setor. Confira minhas dicas de oratória neste podcast! Dura menos de dois minutinhos…