Trocou o café pela cerveja (durante o expediente)

Olha só essa!

Já pensou se aquele cafezinho do meio da tarde fosse substituído por uma cerveja? Já se imaginou degustado uma cerveja artesanal no meio do expediente, todos os dias? Imagine uma reunião acompanhada de cerveja?

Isso existe! Numa agência de comunicação de São Paulo, os funcionários podem beber a qualquer hora. É isso mesmo!

Numa entrevista ao Jornal Extra, do RJ, a proprietária da empresa disse que “Desde que esses hábitos foram acrescentados à rotina da agência, coisas maravilhosas tem acontecido. Os colaboradores estão mais soltos, muito mais criativos e empenhados em traçar estratégias para colocar nossos clientes. Claro que não existem excessos. Cada um sabe de seus limites, e nunca houve nenhum problema quanto a isso. Tudo é feito com moderação”.

Tem um ponto importante aqui: a agência, criada há 10 anos, atende a clientes ligados ao mundo da cerveja.

E como este é um mercado em ebulição, diante da chegada de centenas de rótulos artesanais, a prática duvidosa não é, em si, negativa, pois faz a equipe entender exatamente do que se trata o produto. Não deixa de ser uma forma de se especializar!

Baseado nesta ideia, refleti e avaliei algo que me incomoda muito. Como existe funcionário que não usa os produtos da empresa em que trabalha. Como existe gente de publicidade que faz propaganda de supermercado mas não vai lá.

Como existe contador, por exemplo, que nunca comprou na loja em que atende. Como existe funcionário de empresas de cursos que não fazem os cursos da própria empresa. Isso realmente não consigo entender e não acho apenas bizarro, mas uma barreira para o sucesso.

Tem diversos outros exemplos: 

  • trabalha numa empresa de eventos e nunca foi a um evento sequer;
  • trabalha no cinema mas nunca assistiu um filme;

Concluo: pra fazer bem, seja o que for, temos que entender o que nossa empresa faz e o que nosso cliente vende.

Voltando ao tema da cerveja, eu publiquei isso no Facebook e o primeiro comentário chegou em segundos, dizendo: “tô dentro, não quero nem saber o salário”.

Não tive outra alternativa se não responder com a carinha bonitinha com linguinha pra fora. :-p

Passarinho que acompanha morcego dorme de cabeça pra baixo

Está mais do que na hora de cortar aquelas pessoas que te puxam pra baixo, que reclamam de tudo, que jogam contra… Sejam funcionários ou ex-funcionários, chefes ou ex-chefes, cônjuge ou ex-cônjuge, colega ou ex-colega. Como diz um amigo, ‘passarinho que acompanha morcego dorme de cabeça pra baixo‘. Sai âncora! Tô fora. Pensamento positivo já!

Procrastinação? Tô fora!

Seja por conta do meu programa de rádio, dos meus livros ou por conta das dezenas de palestras que ministro Brasil à fora todos os meses, eu recebo uma quantidade incrível de mensagens via e-mail, Facebook e Twitter.

Semana passada parei para fazer um balanço das mensagens que recebo e tem de todo tipo:de empresários, de funcionários, de gerentes, de desempregados, de taxistas, de médicos… Todos, de uma forma ou de outra querendo melhorar a performance no trabalho ou na gestão de uma empresa.

Observei que tem crescido a quantidade de mensagens que focam, de uma forma ou de outra, um tema chamado “procrastinação”. Muita gente reclama do excesso de trabalho, da quantidade cada vez maior de coisas que precisam ser feitas e da sensação de insatisfação que surge, já que sempre ficam coisas para trás ou que “trabalhou, trabalhou, mas não fez nada”.

A cada dia que passa recebemos mais e mais informações, mais e mais novidades, e não tem jeito: parece que nosso chip não dá conta de tanta sobrecarga…

Em primeiro lugar (1) é importante tomarmos cuidado com os impeditivos da produtividade. É assim que eu chamo o facebook, as conversas paralelas com os colegas, as ligações particulares, as pausas para o café…

2 – Determine suas prioridades e em vez de pensar na quantidade, preste mais atenção na qualidade. Reveja o que tem que ser feito e determine o que é mais importante no momento, avaliando relevância e prazos.

3 – Evite interrupções. Cada vez que você é interrompido, sua mente demora um tempo para retomar o foco no trabalho. Logo, faça a sua parte para se manter atento: se possível, feche o navegador da internet, a caixa de e-mails e deixe o celular no silencioso.

4 – Planeje seu dia, mas deixe lugar para as tarefas inesperadas, porque se você é do tipo de pessoa que recebe novas tarefas durante o dia, deve planejar sua agenda deixando algumas horas para esses possíveis afazeres não planejados.

Pense Nisso! 

Maria da Penha quer montar um site e ganhar dinheiro com isso…

Maria da Penha escreve pedindo uma opinião. Ela diz:

“Sou uma estudiosa de alimentos e alimentação e estou pretendendo criar um site de dicas e indicação de restaurantes e suas especialidades, , o endereço a comodidade e conforto de atendimento.

Tenho 42 anos e nunca trabalhei de carteira assinada em nenhuma empresa.

Minhas  experiências são de festas de amigos e indicações feitas por eles, sou conhecedora da maioria dos restaurantes do Rio de Janeiro.

Gosto de uma boa culinária e um bom vinho, enfim gostaria de sua opinião Você acha que um bom mercado?”

Maria da Penha: toda ideia é linda e visionária; geramente as pessoas falham na execução destas ideias.

Quer empreender? Continue lendo este post. 

Continue reading

As redes sociais durante o expediente…

Um ouvinte que prefere não ser identificado escreve:

“Com a popularização da tecnologia, é possível encontrarmos muitas pessoas em vários locais, para não dizer em todos, usando seus tabletes, celulares, smartphones…  uns jogando, uns lendo… mas, meu grande problema é o acesso a redes sociais  durante o expediente.  Administro 3 lojas onde o acesso a internet é liberado devido a necessidade do nosso perfil de cliente, pois muitos fazem transferências após o fechamento do pedido.

Mas não conseguimos conscientizar nossos colaboradores que a internet é para uso exclusivo do trabalho.  Não somos daqueles patrões que proíbem os funcionários de fazer isso ou aquilo, somente acho que eles tem que… trabalhar. Eu não vejo problema algum em acessar o facebook… se nada eles tiverem que fazer!  É simples!  Mas o que nos deixa chateados são os acessos durante o expediente sem a complementação do serviço, sem o retorno ao cliente, sem os devidos afazeres completos!  E isso está em toda a empresa: atendente, financeiro, motorista.. parece brincadeira, mais não é não Diego.. O que fazer?  Mandar todos embora?  Não deixar trabalhar com os meios de comunicações particulares (como vemos em muitas empresas), me ajuda.. o que fazer?”

Veja o que respondi, continue lendo este post…

Continue reading

A felicidade vem mais fácil para algumas pessoas, mas ela é uma possibilidade para todos

Empreendedores gostam de estabelecer metas e  objetivos e, claro, realizar seus sonhos.

Todo mundo que empreende acredita que quando chega naquele ponto tão desejado – qualquer que seja esse ponto – terá uma sensação incrível de felicidade e satisfação. Não que isso não seja verdade, mas um especialista de Harvard acredita que essa equação está invertida. Shawn Achor, autor do livro “The Happiness Advantage” (“A Vantagem da Felicidade”, na tradução livre do inglês), defende que se tem mais chances de obter o sucesso na vida o profissional que é feliz antes de atingi-lo.

Em entrevista a uma revista americana, ele explica que o resultado de sua última pesquisa é claro: manter o otimismo durante uma tarefa ou trabalho é o maior indicador de sucesso. De acordo com o estudo, o otimismo permite que o cérebro veja mais possibilidades naquilo que está diante dele.

Ele acredita que apenas 25% de todo o trabalho para atingir uma meta são do Q.I de uma pessoa. Os outros 75% vêm de quanto o cérebro dela acredita que precisa ser otimista, ter um bom comportamento e controlar o estresse.

Se ao ouvir isso você argumentou mentalmente que controlar o seu nível de otimismo ou estresse está fora de seu alcance e que isso tudo é uma questão genética, Achor explica que a ideia de que não podemos mudar a nossa felicidade é um mito cultural. Segundo ele, os nossos genes são importantes para definir o quanto seremos otimistas ou estressados, mas eles não são determinantes.

O especialista explica que você pode ter nascido com o gene para a obesidade, ou com o gene para ser pessimista, por exemplo, mas o que irá determinar se você será um ou outro é o seu comportamento. Ele tem uma frase que ilustra bem isso, abre aspas: “A felicidade vem mais fácil para algumas pessoas, mas ela é uma possibilidade para todos”.

A grande verdade é que mudar a própria mentalidade é algo mais fácil do que as pessoas imaginam. Pequenas coisas podem transformar um comportamento pessimista em um otimista, como descobrir que atos muito simples, como escrever todos os dias durante 21 dias três coisas pelas quais você é grato, podem mudar significativamente o seu nível de otimismo pelos próximos seis meses. Você não acredita? Coloque em prática e depois me conta. Funcionou pra mim, pode funcionar pra você.

Forte abraço do…

Diego Maia | Clique aqui e me adicione no Facebook. 

Parabéns, Salvador!

Gente, eu sou quase um soteropolitano! E não é só porque eu apresento o Mundo Empresarial também na Rádio A TARDE FM não. É porque amo mesmo aquela cidade.

O pessoal da rádio pediu que eu gravasse uma mensagem de “amor” para a cidade por ocasião de seus 465 anos, comemorados agorinha. E eu gostei do resultado. Dá só uma olhada no vídeo aí de baixo.

Em tempo 1: estou no ar na A TARDE FM (103,9 FM) de segunda a quinta às 14:26h e 20:57h. Liga o rádio, gente!

Em tempo 2: curta minha fanpage no Facebook clicando aqui.

Como ampliar as vendas de um salão de beleza…

Márcia é proprietária de um salão de beleza que leva seu nome e não anda lá muito empolgada com o ritmo das coisas. Ela pensa que precisa aumentar a clientela e, finalmente, ver resultados, que ainda não chegaram.

O que fazer?

 

Diversificação é a palavra chave! Confira as ideias de como aumentar as vendas em um salão de beleza na continuação deste post (clique aí embaixo). 

Continue reading

Prospecção de clientes para Arquitetos (e outros profissionais liberais…)

Cíntia é arquiteta autônoma e, com o intuito de alavancar sua minha carreira, criou algumas estratégias para atrair clientes novos e promover uma reaproximação com os antigos.

Como estratégia, elaborou uma marca, registrou a mesma junto ao INPI, criou um site para esta marca, uma fanpage no Facebook e  confeccionou cartões de visita com designer arrojado e atraente.

Contudo, ainda não conseguiu ter retorno dessas mídias.

Cintia, obrigado por escrever e compartilhar este importante momento de sua jornada profissional. Continue lendo para conferir algumas ponderações importantes…

Continue reading

Rogéria quer abrir uma cafeteria

Rogéria escreve falando que tem o sonho de abrir uma cafeteria (e agregar um espaço cultural ao mesmo tempo), mas por motivos financeiros esse empreendimento ainda não aconteceu. Ela conta que já tentou uma sociedade, mas como muitas, não deu certo. Rogéria diz que faz cursos do ramo, como o curso de barista e pede conselhos para decolar com este seu sonho.

Continue lendo este post e veja as dicas que dei a ela.

Continue reading